SÃO GOTARDO-MG – DIOCESE DE PATOS DE MINAS

• Artigos

CONGRESSO NACIONAL DO ECC / Capelinha Peregrina de Nossa Senhora Aparecida

No dia 08/04/2012, Monsenhor Vanderly, párco da paróquia Nossa Senhora Aparecida, falou do 20º Congresso Nacional do Encontro de Casais com Cristo (ECC), a realizar-se de 13 a 15/07/2012, em Presidente Prudente-SP.

O Congresso tem como tema: “Família, projeto de Deus” e lema “Prudente é o homem que edifica sua casa sobre a rocha”.

O monsenhor mostrou a Capelinha Peregrina de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Congresso. A capelinha chegou a São Gotardo no dia 07/04/2012, onde ficou por sete dias, seguindo, depois, para a cidade de Ibiá-MG.

“É muito importante rezarmos pelas famílias”, disse o monsenhor.

EQUIPE PASCOM

A FESTA DE “CORPUS CHRISTI” – 07/06

Maio de 2012

A Festa de “Corpus Christi” é a celebração em que solenemente a Igreja comemora o Santíssimo Sacramento da Eucaristia; sendo o único dia do ano que o Santíssimo Sacramento sai em procissão às nossas ruas. Nesta festa os fiéis agradecem e louvam a Deus pelo inestimável dom da Eucaristia, na qual o próprio Senhor se faz presente como alimento e remédio de nossa alma. A Eucaristia é fonte e centro de toda a vida cristã. Nela está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, o próprio Cristo.

A Festa de Corpus Christi  surgiu no séc. XIII, na diocese de Liège, na Bélgica, por iniciativa da freira Juliana, de Mont Cornillon, (†1258) que recebia visões nas quais o próprio Jesus lhe pedia uma festa litúrgica anual em honra da Sagrada Eucaristia.

Aconteceu que quando o padre Pedro de Praga, da Boêmia, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, Itália, ocorreu um milagre eucarístico: da hóstia consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração. Dizem que isto ocorreu porque o padre teria duvidado da presença real de Cristo na Eucaristia.

O Papa Urbano IV (1262-1264), que residia em Orvieto, cidade próxima de Bolsena, onde vivia S. Tomás de Aquino, ordenou ao Bispo Giacomo que levasse as relíquias de Bolsena a Orvieto. Isso foi feito em procissão. Quando o Papa encontrou a procissão na entrada de Orvieto, pronunciou diante da relíquia eucarística as palavras: “Corpus Christi”.

Em 11/08/1264, o Papa aprovou a Bula “Transiturus de mundo”, onde  prescreveu que na quinta-feira após a oitava de Pentecostes, fosse oficialmente celebrada a festa em honra do Corpo do Senhor. São Tomás de Aquino foi encarregado pelo Papa para compor o Ofício da celebração. O Papa, um vigário geral de Liège, havia conhecido a beata Cornilon e havia percebido a luz sobrenatural que a iluminava e a sinceridade de seus apelos.

Em 1290 foi construída a belíssima Catedral de Orvieto, em pedras pretas e brancas,  chamada de  “Lírio das Catedrais”. Antes disso, em 1247, realizou-se a primeira procissão eucarística pelas ruas de Liège, como festa diocesana, tornando-se depois uma festa litúrgica celebrada em toda a Bélgica, e depois em todo o mundo, no séc. XIV, quando o Papa Clemente V confirmou a Bula de Urbano IV, tornando a Festa da Eucaristia um dever canônico mundial.

Em 1317, o Papa João XXII publicou na Constituição Clementina, o dever de se levar a Eucaristia em procissão pelas vias públicas. A partir da oficialização, a Festa de Corpus Christi passou a ser celebrada todos os anos na primeira quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade.

Todo católico deve participar dessa procissão por ser a mais importante de todas que acontecem durante o ano, pois é a única onde o próprio Senhor sai às ruas para abençoar as pessoas, as famílias e a cidade. Em muitos lugares criou-se o belo costume de enfeitar as casas com oratórios e flores e as ruas com tapetes ornamentados, tudo em honra do Senhor que vem visitar o seu povo.

Começaram assim as grandes procissões eucarísticas, as adorações solenes, a bênção com o Santíssimo no ostensório por entre cânticos. Surgiram também os Congressos Eucarísticos, as Quarenta Horas de Adoração e inúmeras outras homenagens a Jesus na Eucaristia.

PADRE DIVINO LUCAS DE SOUZA – Vigário na Paróquia São Sebastião

Fonte: Prof. Felipe Aquino – http://www.cleofas.com.br 

PENTECOSTES – 27/05 (Parte 1)

Maio de 2012

Pentecostes é uma palavra que vem do grego e significa “quinquagésimo”. É o 50º dia depois da Páscoa, a Solenidade da vinda do Espírito Santo. Junto com o Natal e a Páscoa, formam o tripé mais importante do ano litúrgico. Esse detalhe ajuda a compreender porque Pentecostes pertence ao Ciclo da Páscoa.

O vermelho domina essa Solenidade, associado ao fogo, símbolo do amor. O Espírito Santo é chamado de “Espírito de Amor”.

Antes de ser uma festa dos cristãos, Pentecostes foi festa dos judeus, e sua origem se perde nas sombras do passado. Antes de ser assim, tinha outros nomes, e era uma festa agrícola. Em Êxodo 23, 14-17 é chamada de festa da Colheita, a festa dos primeiros feixes de trigo colhidos. Existiu também a Festas das Semanas. Por que “Festa das Semanas”? A explicação é dada em Levítico 23, 15-21; calculava-se 7 semanas a partir do início da colheita do Trigo.

Com o tempo ela perdeu sua ligação com a vida dos agricultores, recebeu o nome grego de Pentecostes e se tornou festa religiosa. No tempo de Jesus, celebrada 50 dias após a Páscoa, ela recordava o dia em que, no Monte Sinai, Deus entregou as Tábuas da Lei a Moisés. Os Atos dos Apóstolos fazem coincidir a vinda do Espírito Santo com a festa judaica de Pentecostes.

O episódio de Pentecostes é narrado por Lucas em Atos 2, 1-11.

Apenas os Doze Apóstolos é que receberam o Espírito Santo?

De fato São Lucas disse, antes que viesse o Espírito Santo: “Os Apóstolos voltaram para Jerusalém, pois se encontravam no Monte das Oliveiras, não muito longe de Jerusalém entraram na cidade e subiram para a sala de cima, onde costumavam hospedar-se, aí estavam os 12 apóstolos. Todos eles tinham os mesmos sentimentos e eram assíduos na oração, juntos com algumas mulheres, entre as quais Maria, mãe de Jesus e outras. Nesses dias, aí estava reunido um grupo de mais ou menos cento e vinte pessoas” (Atos 1, 12-15). No dia de Pentecostes, já com Matias substituindo o traidor Judas, Lucas afirma que “todos eles estavam reunidos no mesmo lugar” (Atos 2, 1). Na fala, depois de terem recebido o Espírito Santo, Pedro previa a efusão do Espírito Santo sobre todas as pessoas: “Nos últimos dias, diz o Senhor, eu derramarei o meu Espírito sobre todas as pessoas. Os filhos e as filhas de vocês vão profetizar, os jovens terão visões e os anciãos terão sonhos. E naqueles dias, derramarei o meu Espírito também sobre meus servos e servas, e eles profetizarão” (Atos 2, 17-18).

MONSENHOR VANDERLY FRANCISCO DE SOUSA

Pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida

46.º DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS – 20/05

 Maio de 2012

Fundamentados em palavras do papa Bento XVI, que no último 24 de janeiro, dia de são Francisco de Sales, pronunciou a mensagem do tema do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2012 – Silêncio e Palavra: Caminho da Evangelização, refletimos sobre a comunicação.

O silêncio trás melhor diálogo. É quando podemos sentir o conteúdo e analisar o que acontece no nosso meio. “É o primeiro passo para acolher a palavra”, disse Bento XVI.

A comunidade conhece a realidade em que vivem e quando lhes damos espaços, vêm à tona riquezas de informações, como as suas festividades, a religiosidade de seu povo, suas ações sociais, enfim… E que gratificante quando ouvimos idéias! Um crescimento mútuo! Uns têm muito a acrescentar, outros bastante a aprender!

A “palavra” tanto pode edificar como pode destruir, mas sendo enraizada no silêncio, será de crescimento. Uma verdadeira catequese.

Jesus ressuscitou três dias após ser sepultado e está presente na Eucaristia. Que riqueza de comunicação! E somos os responsáveis por essa Boa Nova.

Partindo do silêncio, a palavra educa para a comunicação do anúncio de que estamos no mundo para nos santificarmos em busca da vida eterna.

Que a Igreja use os meios de comunicação disponíveis para uma evangelização verdadeira, com conteúdos que denotem as coisas de Deus.

A PASCOM convida todas as lideranças das comunidades, às pastorais e movimentos religiosos, para a caminhada, lado a lado, através da comunicação. A responsabilidade não se resume apenas nos membros da PASCOM. Todos somos responsáveis.

Que a exemplo da sempre Virgem Maria, que partindo do silêncio e da oração, amou e viveu a santidade, sejamos todos comunicadores a serviço de Deus e com a intercessão de são Francisco de Sales, o padroeiro das comunicações da Igreja.

EM TEMPO: Dias 19 e 20 de julho próximo, em Aparecida-SP, acontecerá o 3.º Encontro Nacional da PASCOM, onde os comunicadores da Igreja terão a oportunidade de refletir, estudar e trocar experiências, direcionados em comunicar Jesus a todos.

FÁBIO GALVÃO – PARÓQUIA NOSSA SENHORA APARECIDA

NOSSA SENHORA DE FÁTIMA – 13/05

Maio de 2012

Deus, na sua sabedoria infinita, mostra ao mundo sua gratidão paternal. Dizendo assim, vemos que o próprio Deus quis habitar entre nós de uma forma visível. Então gerou de Si mesmo, Aquele que é o nosso Salvador: Jesus Cristo. Esse mistério é grande. Nas profundezas da compreensão de Deus, Ele quer ter uma Mãe. Maria é Theotokos, expressão composta de duas palavras gregas, Θεός (Deus) e τόκος (parto). Literalmente, isso se traduz como portadora de Deus ou a que dá à luz Deus. Maria, conhecida popularmente como Nossa Senhora, é mulher preservada por Deus do pecado original e de todo e qualquer pecado, pois deveria ser pura aquela que trás Deus no seu ventre – Jesus Cristo. Agora, podemos entender que Jesus é gerado por Deus. Quando tomamos a Sagrada Escritura vemos em Atos 13, 33b, a expressão “Tu és o meu Filho, eu hoje te gerei”.

Nossa Senhora é conhecida no mundo inteiro com diversos títulos, assim sendo, venho falar de Nossa Senhora de Fátima.

A 13 de maio de 1917, três crianças apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Fátima (Portugal), hoje diocese de Leiria-Fátima. Chamavam-se Lúcia de Jesus, de 10 anos, e Francisco e Jacinta Marto, seus primos, de 9 e 7 anos. Para estas crianças, Nossa Senhora apareceu diversas vezes em Fátima. Ela pedia às crianças para rezarem o Terço pela conversão dos pecadores. Nossa Senhora é nossa intercessora junto de Deus.

Como entender nossa devoção a Nossa Senhora? Precisamos saber que os católicos não adoram Nossa Senhora, mas veneramos, observamos seus ensinamentos a partir de sua vida neste mundo e na sua unidade com Deus Pai. Dessa forma, Maria recebe o nosso culto de Hiperdulia. Vou explicar: Hiperdulia (do gregoυπερδουλεια) é um termo teológicoutilizado pela Igerja Católicaque significa “a honra e o culto de veneração especial devotados à Nossa Senhora”.

Este culto a Nossa Senhora é feito através da liturgia, que é o culto oficial e obrigatório da Igreja Católica, e também, em maior intensidade, através da piedade popular, que é o culto católico privado. No campo da piedade popular, destacam-se as devoçõesfeitas à Virgem Maria, como por exemplo o Santo Rosário, o Angelus, o Imaculado Coração de Maria, a peregrinaçãoaos lugares onde Maria apareceu, as procissões, etc.

Tenho a alegria de ter feito o caminho dos três pastorzinhos de Fátima. Lá, percebi sobretudo na Capela das aparições que foi construida no lugar onde Nossa Senhora aparecia para as crianças, uma grande devoção mundial a Nossa Senhora de Fátima. Devemos cultivar nossa devoção à Mãe de Deus, pois ela nos fortalece no caminho para Jesus. Ela é nos dada por Mãe pelo próprio Jesus. Em nossa Paróquia Nossa Senhora Aparecida, temos a Capela Nossa Senhora de Fátima. Neste mês de maio, do dia 7 até o dia 13, teremos novenas e a Festa em Louvor a Nossa Senhora de Fátima. Participem!

MONSENHOR VANDERLY FRANCISCO DE SOUSA

Pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida

MINHA MÃE

Maio de 2012

MÃES: mulheres meigas, delicadas, mas acima de tudo são mães.

Mães são as pessoas mais importantes das nossas vidas; sejam bravas, calmas, brincalhonas, mandonas. Sem elas não existiríamos.

Mães sofrem durante nove meses (com alegria) e mesmo sem ter visto o rostinho da criança que está em seu ventre, já a ama incondicionalmente.

Depois dos nove meses, ela nos cobre de carinho e amor, nos protege custe o que custar. Depois que nascemos, a única certeza que temos é que nossa mãe sempre vai nos amar. Nela sempre poderemos confiar. Ela sempre vai nos ajudar e apoiar. Nós dependemos dela para tudo, pois nos ensinou a andar, a falar e até a comer. E sem elas, como nascer?

É por tudo isso que quero agradecer à minha mãe e a todas as mães.

Mãe, EU TE AMO!

MARIA EDUARDA SILVA MACHADO – 12 anos

O ANJO CHAMADO MÃE

Maio de 2012

Você é um filho (a) amado (a) de Deus, e o amor desse Pai é tão grande que quando você nasceu, Ele escolheu um anjo aqui na terra para te guiar. Esse anjo te esperou com tamanha ansiedade para te conhecer. Seu anjo te amou desde o primeiro momento em que te viu. A cada pequena vitória, seu anjo estava com você. Nos seus primeiros passos, primeiras palavras, primeiros tombos, seu anjo estava lá, segurando sua mão, te ajudando a seguir. Quando você chorou, quando você sorriu, o abraço que te acalmou, foi seu anjo. Esse anjo, Deus chamou de MÃE.

Mas esse anjo mãe precisava de outro anjo para cumprir seu papel aqui na terra. Esse outro anjo deveria ensiná-lo a ser mãe. As mães precisavam aprender a amar incondicionalmente, ensinar, impor limites, sorrir, chorar, guiar seu caminho… Esse outro anjo Deus chamou FILHO (A).

Filhos, sejam anjos na vida de sua mãe todos os dias, não somente no dia dedicado a elas, porque mãe é mãe todo dia e não apenas no dia das mães. E para as mães o mesmo, sejam anjos na vida de seus filhos todos os dias, seguindo o exemplo de Maria Santíssima.

A todas as mães, seja de sangue ou de coração, FELIZ DIA DAS MÃES!

PRICILA RESENDE RODRIGUES – AGENTE DA PASCOM

04/05 – SANTO “SÃO GOTARDO”

Maio de 2012

No dia 4 de maio comemoramos São Gotardo, santo que tem o mesmo nome de nossa cidade.

Gotthard nasceu na Alemanha, no dia 5 de dezembro de 960, na cidade de Reichersdorf (Baviera), perto de Niederaltaich. em Ainda menino, demonstrava um grande amor pelas coisas de Deus, demonstrando vocação à vida religiosa. Estudou muito e aos 14 anos foi aceito no mosteiro beneditino de Niederaltaich.

A vocação de nosso querido santo foi crescendo, ocupando várias funções na Igreja e viajando por muitos países. Tornou-se monge e foi ordenado sacerdote em 993. Por fim, tornou-se bispo de Hildesheim (Alemanha) em 2 de dezembro de 1022.

São Gotardo, muito respeitado, fez muito pela parte espiritual da Igreja, principalmente pelos menos favorecidos. Reformou vários mosteiros, ordenou a construção de cerca de 30 igrejas e fundou uma grande casa de repouso perto de Hildesheim.

Depois de uma breve enfermidade, ele veio a falecer em Hildesheim, no dia 4 de maio de 1038, sendo canonizado em 1131.

Vários milagres são atribuídos à sua intercessão e às suas relíquias.

Na Alemanha, São Gotardo é padroeiro de muitas cidades.

Ele é patrono dos comerciantes itinerantes, invocado contra a peste, hidropisia (um edema), doenças infantis, chuva de pedra (granizo), dor do parto, gota e também invocado por aqueles em perigo no mar.

São Gotardo, rogai a Deus por nós. Amém!

EM TEMPO – Aguardamos, ansiosos, pela comemoração de São Gotardo, no próximo dia 4 de maio. Idéia essa a ser levada adiante.

EQUIPE PASCOM

NOSSA SENHORA, VIRGEM DO SILÊNCIO, DA FÉ, DO AMOR E DA PAZ

Maio de 2012

MAIO, MÊS MARIANO – Maria, mulher do silêncio, que guardava todas as coisas em seu coração, mesmo sem entender, confiava na vontade de Deus. Foi por sua fé que a salvação entrou no mundo, quando disse “sim” e o Menino Deus nasceu. Humanamente é difícil compreender a coragem de Maria quando respondeu ao anjo de Deus: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim a tua palavra”, mesmo sabendo de todas as dificuldades que enfrentaria grávida de Jesus. Sendo noiva de José, como explicar? Ela poderia ter sido apedrejada. Mas, ela não questionou, não pediu para desistir nem para Deus dar um “jeitinho”, apenas confiou e viveu em tudo a vontade de Deus.

Esposa que cuidava da casa, preparava as refeições, mãe que ensinava seu filho a andar, falar, comer, rezar… E mesmo aos pés da Cruz de Cristo, Nossa Senhora, ao olhar seu filhinho ali crucificado, transfigurado, todo machucado por nossos pecados, o menino que ela acalentava em seu colo, segurava pelas mãos e protegia; mesmo com estas espadas de dores a transpassarem sua alma, manteve-se firme na fé e de pé até o fim.

 Nossa Senhora foi mãe e esposa. Passou por tantas dores!

“Santa Maria, rogue por nós, pecadores, a Deus. Ensina-nos, mesmo com nossas misérias, a confiar em Deus e nos Seus desígnios, e não nos deixe esquecer que nosso reino não é deste mundo.” Nosso lugar é o céu.

Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós, pecadores!

DENÍSIE PEREIRA – AGENTE DA PASCOM

1.° DE MAIO – DIA INTERNACIONAL DO TRABALHO

Maio de 2012

DIA DO TRABALHADOR E DA TRABALHADORA – No dia 1.° de maio, Dia Internacional do Trabalho, também comemoramos São José Operário, o padroeiro dos trabalhadores. Santo este que é o único celebrado em duas datas, sendo comemorado como “Esposo de Maria” no dia 19 de março.

São José sustentou dignamente a Sagrada Família com o trabalho de ser carpinteiro, ofício ensinado a seu filho adotivo, Jesus, o Filho de Deus.

Jesus assumiu o trabalho humilde de ser carpinteiro para mostrar que todo trabalho lícito, edifica. Concluindo, Ele cumpriu a missão predestinada por Deus Pai, evangelizando e redimindo os nossos pecados.

O trabalho é uma grande terapia, onde fazemos amizades, aprendemos, ensinamos, servimos aos outros. Qualquer que seja a função, da mais simples à mais complexa, sendo honesta, ela é bela aos olhos de Deus. O importante é o bom cumprimento das tarefas, com o Papa Bento XVI recomendando que a verdade e o amor sejam os objetivos de todos os trabalhos.

Muito nos alegra o grande número de estudantes nas faculdades empenhados na busca de uma carreira profissional, que desejamos sejam concluídas com o intuito de crescimento autêntico.

Os nossos sacerdotes e todos os fiéis que trabalham em prol da Igreja, a exemplo de Cristo, o Bom Pastor, enriquecem a nossa parte espiritual, sendo missionários a serviço do Reino de Deus.

 “Tudo o que fizerdes, fazei-o de bom coração, como para o Senhor e não para os homens. Sabeis que recebereis como recompensa a herança das mãos do Senhor. Servi ao Senhor Jesus Cristo” (Colossenses 3, 23-24). Então, se você é agricultor ou pecuarista, trabalhe como se fosse alimentar o Senhor. Se você é lojista ou empresário, negocie como se atendesse ao Senhor.

Devido à falta de oportunidades, infelizmente existem trabalhos não dignos, outros de formas desonestas e alguns mundanos. Lutemos contra!

Deus deseja que todos os trabalhadores tenham seus direitos respeitados, mas que cumpram com integridade as suas funções. Um mau trabalhador, seja empregado ou patrão, é um mau cristão. Ao contrário, quando tudo é feito com dedicação e competência, Deus gratifica.

Com a responsabilidade do bom uso dos dons recebidos da Trindade Santa, trabalhemos também na edificação do Reino de Deus, a serviço do próximo.

Que São José Operário interceda por nós, trabalhadores, para que, desejosos da edificação humana, trabalhemos fundamentados na Sagrada Escritura.

Agradeçamos a Deus pela saúde, pela disposição em trabalhar e pelo emprego que temos. Quantos estão desempregados!

Que os desempregados lutem, que os menos capacitados procurem novas instruções. Que todos sejam reconhecidos no mercado de trabalho, direcionados, de primeira mão, para a diminuição da desigualdade social que tanto nos aflige.

Parabenizamos todos os trabalhadores de São Gotardo, quer sejam nascidos aqui ou sejam oriundos de outras terras, onde juntos podemos fazer uma cidade cada dia mais edificante, tendo total respeito para com todos os nossos irmãos e irmãs.

FÁBIO GALVÃO – PARÓQUIA NOSSA SENHORA APARECIDA

24/04 – DIA DA EDUCAÇÃO

Abril de 2012

Educação: instrução, polidez e cortesia. Educação vem do berço, desde criança no seio da família. Na vida social e principalmente na família. Presenciamos cada casos e historias que até Deus dúvida! Parece que o homem não é um animal racional e sim irracional, por suas ações e atitudes que faz no decorrer da vida. A melhor educação ser polido. É bom para nossa vida, saúde física, espiritual, mental e com o nosso próximo e a nós mesmos.

EQUIPE PASCOM

 PÁSCOA – VIDA NOVA

Abril de 2012

“Por que procurais entre os mortos àquele que está vivo? Não está aqui, ressuscitou!” (Lc 24, 5-6).

Ainda hoje, como fizeram aquelas mulheres que foram ao túmulo, ouviram esse anúncio e se tornaram mensageiras dessa boa notícia, nós que cremos em Jesus ressuscitado, procuramos por Deus vivo e ficamos esperando que Ele em sua infinita misericórdia olhe por nós e perdoe os nossos pecados.

Por causa da ressurreição de Jesus podemos ter fé e esperança, podemos descansar no Senhor. Com este milagre Deus oferece a maior prova da Sua existência, de Seu poder, de Sua pureza e de Seu perdão. Ele esta no céu nesse momento e diz com grande amor: “Vinde a Mim, todos que estais cansados e oprimidos e Eu vos aliviarei” (Mateus 11,28). Jesus quer oferecer-nos a salvação, a vida eterna. Para isso basta que ouçamos a Sua Palavra com fé e a pratiquemos. Se assim o fizermos, Ele entrará em nossas vidas e nos dará o poder de sermos filhos de Deus.

A ressurreição de Cristo é um testemunho do imenso amor de Deus por nós. Acreditar na ressurreição é acreditar em Deus. É a vitória gloriosa para todo aquele que crê, pois Jesus morreu, foi enterrado e ressuscitou no terceiro dia. E aqueles que permanecerem perseverando na Sua palavra vão ser transformados e glorificados para receber a vida eterna.

O amor de Deus, manifestado a nós na ressurreição de seu filho Jesus Cristo, alimenta a nossa alegria e a nossa esperança e ao mesmo tempo, faz-nos acreditar na justiça, na igualdade e num mundo mais solidário, sem dor, sem fome e sem pecados.

“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir, eu entrarei e cearei com ele e ele comigo.” (Apocalipse 3,20)

A porta a qual Jesus fala é o acesso a nosso coração, a nossa mente e a nossa vontade de servi-lo. Jesus deseja entrar em nossa vida para que Ele possa se tornar o Salvador e Senhor de nossos pensamentos e ações. Assim, hoje não endureça o seu coração, deixe Jesus entrar, Deus lhe dará tudo aquilo que tanto necessita. Creia no Senhor Jesus Cristo – Ressuscitado e Vivo para lhe salvar e lhe dar plena vida.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3,16)

Ressurreição é a transformação de nossas vidas, é sair da comodidade e ajudar o próximo.  É confiar e esperar no Senhor, é ter a certeza de que tudo que pedirmos em nome do seu filho Jesus ele nos atenderá.

Agradeçamos a Deus pelo fato maravilhoso que é a ressurreição de Jesus e façamos o compromisso de vivermos cada dia como seguidores vitoriosos de nosso Senhor, de maneira que possamos elevar-nos para estar com Ele na Eternidade.

Que a luz de Jesus Ressuscitado ilumine sua vida!

FELIZ PÁSCOA!

EQUIPE PASCOM

MENSAGEM PELA PÁSCOA

Abril de 2012

 Porque Deus nos amou tanto que nos deu discernimento, espiritualidade e sabedoria. Nos deu sinais e olhos da alma para enxergá-los. Nos deu pessoas significativas, e nem tão significativas, para portar voz daquilo que necessitamos aprender. E nos deu ouvidos para escutar o que as canções nos abraçam; e nos deu o olfato para sentir o perfume da verdade, ainda que nos cause dor; a boca para proclamar aquilo que nosso coração está cheio, sendo bom ou ruim, e as mãos para segurar firme nas mãos daqueles que seguem conosco no amor nos ajudando nos tropeços.

Quanto mais o tempo passa, mais sujeira encontramos debaixo dos tapetes sob nossos pés. Quanto mais pessoas conhecemos, menos conhecemos a “humanidade” de cada uma delas. Retrocedemos na busca daquilo que enquanto crianças conseguíamos visualizar, ou daquilo para o qual nossos olhos eram “cegos”; mas recuamos, não encontramos o caminho de volta porque ele não existe mais. Assim, prosseguimos na mesma jornada de todos os tempos, crucificando dentro de nós tudo aquilo que é bom e merecedor de nossa atenção. Crucificamos a confiança porque não mais olhamos nos olhos uns dos outros e não somos capazes de fidelizar laços. Crucificamos nossa esperança por não mais enxergar verdade e a pureza uns nos outros. Crucificamos nossa fé por não mais sentir a Deus nas pequenas coisas, por deixar com que nossa razão e inteligência nos levem a questionar tantas regras, tanta ostentação e tantos erros. Crucificamos a caridade por apontar como dever dos nossos governantes a igualdade do mundo, sem lembrar que nós mesmos os escolhemos para nos representar. Crucificamos a alegria enfiados em vícios que nos iludem momentaneamente levando a falsos prazeres e ressacas morais. Crucificamos a gratidão ao reclamar incessantemente de tudo, de todos, até de nós mesmos.

Porque Deus nos amou tanto, que somos cada um de nós filhos únicos, e ainda assim irmãos, e temos a oportunidade de ressuscitar todos os dias aquilo que há de bom, aquilo que há de melhor, dentro e fora de nós. Que nessa Páscoa você possa discernir o que lhe faz feliz e aprofundar em toda bondade que existe em seu coração. O que nos salva é crer que quando tudo parece irreal e impossível, existe um Deus que nos amou e ama tanto, que nos dá essa chama que aquece e mantém firmes e caminhantes aqueles que não a deixam apagar. Deus nos amou tanto que nos permitiu SENTIR, sentir saudades do tempo em que “só lembro que a noite aos pés da cama, juntava as mãozinhas e rezava apressado, mas rezava como alguém que ama.”

FELIZ PÁSCOA! FELIZ RESSURREIÇÃO! Feliz VIDA NOVA a cada dia, a cada vez que SENTIR o toque de Deus, quando você “voltar”.

Com afeto, Thamires Sousa Martins Marques

07/04 – DIA MUNDIAL DA SAÚDE: A saúde depende de nós

Abril de 2012

Quando comentamos sobre doença ou saúde na possibilidade de estarmos acamados, enfermos, tratamos de alguma enfermidade ou apenas estamos vivendo nosso cotidiano normalmente, trabalhando ou estudando. Não pensamos em nossa alimentação durante nossa jornada diária. As pessoas desconhecem a importância de uma dieta saudável na prevenção de doenças. Diabetes, hipertensão, obesidade, podem ser evitadas escolhendo o que comer.

O Brasil ainda possui graves problemas relacionados à saúde pública. A falta de médicos nas regiões pobres do interior, as grandes filas nas salas de espera dos hospitais e a falta de equipamentos e material hospitalar são alguns exemplos dessa precariedade do nosso sistema de saúde.

Como o governo não consegue atender dignamente os cidadãos no que se refere aos problemas de saúde mais elementares, a população deveria procurar concentrar na estratégia da prevenção. Uma alimentação equilibrada e preventiva, com certeza diminuiria a quantidade de pessoas buscando assistência médica. Seria uma grande ajuda fraternal, informações veiculadas pelas autoridades federais, estaduais e municipais a respeito de dietas saudáveis, acessíveis e preventivas.

Existe um ditado popular que diz: “Deus perdoa sempre, as pessoas às vezes, a natureza “nunca”. Isso é verdadeiro quando diz respeito aos excessos que cometemos e como cuidamos do nosso organismo. Os efeitos de uma vida desregrada, vícios, má alimentação, sedentarismo, podem não manifestar de imediato, mas, quando a idade vai avançando, com certeza os problemas aparecerão.

Por isso é necessário, quanto mais cedo possível, procurarmos investir numa vida que nos proporcione saúde corporal, espiritual e social.

Boa alimentação, exercícios físicos habituais, pensamentos positivos, espiritualidade, bem como evitar o álcool e o cigarro irão potencializar ainda mais esta máquina que Deus lhe deu, que se chama VOCÊ!

  Pela Pastoral da Saúde, Daniel LeopoLdino Gomes (15 anos)

04/04 – ANIVERSÁRIO DO PADRE DIVINO

Abril de 2012

 O aniversário natalício deve avivar o sentido da vida, como dom precioso de Deus e compromisso de cada pessoa humana. Deus que lhe concedeu conviver conosco!

Padre Divino, que sua vida seja um tesouro para todos que lhe querem bem e amam. Uma de resposta ao amor com o qual Deus lhe soprou sua sabedoria divina.

Seja sempre muito feliz e sinta o carinho de todos da sua Paróquia.

Paróquia São Sebastião e Equipe Pascom

 22/03 – DIA MUNDIAL DA ÁGUA

Março de 2012

 Água fonte de vida e patrimônio da humanidade.

As escolas de nossa cidade apresentaram projetos e palestras conscientizando sobre a importância e cuidados com a água para nossa vida.

Nós até podemos ficar por um tempo sem nos alimentar, mas sem água jamais. Então vamos cuidar do deste bem tão precioso para nossa sobrevivência. Bebida tem que ser água (H2O) limpa, tratada e filtrada.

            EQUIPE PASCOM

VAMOS AOS POBRES…

Março de 2012

 Muito ouvimos falar da Sociedade São Vicente de Paulo, dos seus efeitos benéficos voltados para as pessoas que habitam o Lar do Idoso e o trabalho que fazem com uma parte muito especial da população de nossa querida cidade, que são as famílias carentes… Sempre ouvimos os nossos padres falarem sobre caridade, principalmente agora no tempo da quaresma, o que me motivou muito.

Por mais de dois anos, fiquei totalmente afastado da SSVP, até que em uma celebração presidida pelo Padre Divino José, em sua homília ele falou muito em jejum, oração, penitência e doação.

Coloquei-me a pensar que tão pouco estava doando de mim a pessoas que realmente necessitam. Nas idas e vindas da semana encontrei-me com um confrade o qual prezo muito e me fez o convite para estar voltando para a Conferência a qual fazia parte. Resolvi voltar, e tão grande foi a minha surpresa: vi uma sala mesclada de adultos e crianças.

Durante toda a reunião fiquei pensando: os adolescentes e jovens de nossa cidade onde eles estão?

O Beato Antônio Frederico Ozanan, fundador da SSVP, nos deixa a seguinte mensagem: “Quanto desejaria que todos os jovens de espírito e coração se unissem em torno de alguma obra de caridade, organizando-se em uma ampla e generosa associação para o alívio das classes mais pobres”.

Muitas vezes, achamos que aproveitar a juventude é gritar, é estar rodeado de amigos, é ir para sorveterias, bares e lanchonetes festejar. E realmente isso também é aproveitar juventude. Mas, quero propor um desafio à juventude cristã de nossa cidade: VENHA FAZER PARTE DA SSVP.

 Vocês se acham muito jovens para intervir na luta social? Então ficarão inertes, em meio de pessoas que sofrem e tem fome? Não! Penso que nenhum de vocês quer isto para suas vidas. Um caminho está aberto para vocês em nossa cidade. Procurem fazer o bem a alguns; infelizmente não podemos regenerar toda a cidade de São Gotardo, mas poderemos aliviar o sofrimento de alguns de seus pobres e doentes.

Socorramos nosso próximo e coloquemos nossa fé sob a proteção da Caridade.

Vamos aos pobres?

Ricardo Bessa – Conferência Nossa Senhora de Fátima

PADRE LUCAS, SEJA BEM-VINDO

Março / 2012

Padre Divino Lucas de Souza (Pe. Lucas), não poderíamos deixar de apresentar-lhe nossos votos de boas-vindas!

A Paróquia São Sebastião se regozija no entusiasmo de acolhê-lo.

Que o Espírito Santo nos conduza e nos fortaleça neste momento de renovação!

Estamos firmes, de pé, e corajosos para caminharmos juntos, na vida religiosa e pastoral de nossa Comunidade.

PADRE LUCAS AGRADECE

04/03/2012

“Não há dever mais urgente do que o de agradecer” Santo Ambrósio.

Meu muito obrigado a todos vocês, Paroquianos da Paróquia São Sebastião de São Gotardo!

Que Deus os abençoe e os ilumine sempre nesse processo de santidade!

8 DE MARÇO – DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Março / 2012

Dia 8 de março, conhecido como Dia Internacional da Mulher, é uma das datas mais importantes de nossa história, pois representa a busca na qual a nossa sociedade aprenda respeitar as mulheres, com carinho e amor aos olhos de Deus.

Mulheres, parabéns pelo seu dia!

—————– ENTREVISTA —————–

A PASCOM entrevistou duas jovens no Dia da Mulher: Daniela Rodrigues e Jennyffer Maya.

A respeito de como elas vêem as jovens mulheres hoje em dia, elas responderam: “Nos dias de hoje vemos que as jovens são pessoas privilegiadas por Deus, ocupando posições de grandes conquistas, atuando em cargos bem vistos pela sociedade, tudo com grande respeito.”

O que elas têm a dizer para os jovens em geral: Alegrai-vos no Senhor (Filipenses 4, 4) – “Que sobre todas as coisas deve haver disciplina, respeito, ordem, perseverança e principalmente ‘alegria’ para com a obra do Senhor. É Ele quem nos envia dons e nos alegra, para que possamos compartilhar com as pessoas, pois ‘o Senhor é justo e fiel’.”

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2012 – Fraternidade e Saúde Pública

Março / 2012

Não basta receber as cinzas, precisamos praticar a oração, o jejum e a caridade, pois a quaresma verdadeira é aquela do amor misericordioso e do perdão caritativo.

A Igreja no Brasil, já há algumas décadas, desde 1964, propõe, às comunidades paroquiais, uma vivência quaresmal orientada pela Campanha da Fraternidade. Neste  ano de 2012 a C.F propõe o tema “Fraternidade e Saúde Pública”, com o lema: Que a saúde se difunda sobre a terra (cf. Eclo 38,8).

O objetivo geral da C.F 2012 é refletir sobre vida saudável, suscitando o espírito fraterno e comunitário das pessoas, na atenção aos enfermos e mobilizar por melhoria no sistema público da saúde.

Dentre os objetivos específicos, que vão ajudar a conseguir o objetivo geral se destacam:

– Difundir o conceito do bem viver e sensibilizar para a prática de hábitos de vida saudável.

– Sensibilizar as pessoas para o serviço aos enfermos, o suprimento de suas necessidades e a integração na comunidade.

– Alertar para  a importância da organização da Pastoral da Saúde nas comunidades paroquiais; criar onde não existe, fortalecer onde está  começando e dinamizar onde já existe.

A Pastoral da Saúde representa a atividade a desempenhar pela Igreja no setor da saúde, é expressão de sua missão manifestar a ternura de Deus para com a humanidade que sofre.

A Igreja, ao meditar a parábola do bom samaritano (cf. Lc 10, 25-37), entende que não é lícito delegar o alívio do sofrimento apenas à medicina, mas é necessário ampliar o significado dessa atividade humana.

Somos convidados a ser acolhedores e praticarmos a boa samaritanidade, cuidando dos doentes e de todos que se encontram à margem do caminho. A Igreja nos adverte que, contemplando os diversos rostos de sofredores, especialmente os rostos dos pobres, enxerguemos, em cada um, o rosto de Nosso Senhor, chagado, destroçado, flagelado.

Nosso amor a Jesus Cristo Crucificado leva-nos a buscá-Lo em meio a situações de morte. Leva-nos a não aceitar tais situações de morte, sejam elas quais forem, envolvendo-nos da preservação da vida. (Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2011 a 2015 – CNBB n. 60)

A Igreja, nesta Quaresma, à luz da Palavra de Deus, deseja iluminar a dura realidade da Saúde Pública e levar a nós, discípulos missionários, a sermos consolo na doença, na dor, no sofrimento e na morte. E ao mesmo tempo, exigir que os pobres tenham um atendimento digno em relação à saúde.

Que a saúde se difunda sobre a terra, pois a salvação já nos foi alcançada por Jesus crucificado.

Que os exemplos do bom samaritano coloquem em prática os exercícios quaresmais, indo ao encontro de quem sofre e necessita dos nossos cuidados materiais e espirituais.

Pela Pastoral da Saúde, Maria Terezinha – Manual da C.F 2012

TERÇO DOS HOMENS – MOVIMENTO MARIANO

Agradecimento

Março / 2012

“Assim também a Fé: se não tiver obras, é morta em si mesma”. (cf. Tg 2, 17)

O “Terço dos Homens – Movimento Mariano” é um movimento atuante em nossa cidade; tanto na fé, expressa nos momentos de oração, como também nas obras que vem realizando. A cada encontro de oração é feita uma coleta onde os participantes fazem as suas ofertas. Estas, por sua vez, são livres e espontâneas. Cada um oferece o quanto quer doar e quando deseja contribuir. Tudo conforme a generosidade de seu coração e sua disponibilidade.

A comissão tem duas pessoas responsáveis por estas doações: o Paulinho, primeiro tesoureiro, e o Euler, segundo tesoureiro. Eles trabalham em conjunto e cuidam para que tudo seja documentado. Há um “Livro de Caixa”, onde são anotados os valores das doações de cada terça-feira. Neste livro também são registradas as saídas, constando o valor e o destino do dinheiro. Qualquer membro do “Terço dos Homens” que desejar conferir estes registros, basta procurar os nossos tesoureiros citados acima.

Este artigo tinha como objetivo inicial fazer uma detalhada prestação de contas. Isto iria tomar muito espaço do jornal e, por esta razão, algo inviável. Então optamos por, uma vez mais, dizer que o “Livro de Caixa” está disponível para consultas e trazer a público algumas das obras que foram realizadas com estas valorosas doações. O que foi feito até agora é uma prova concreta de que os “Filhos de Maria” em São Gotardo são homens de fé e também homens de obras.

Vejamos algumas destas obras:

Construção dos banheiros nas Obras Sociais (R$ 5.459,90); Auxílio ao “Projeto Amor e Ação” – Apoio às gestantes carentes (R$ 800,00); Aquisição de uma mesa de som – 1ª parcela – (R$ 1.000,00); Compra dos microfones que são usados no “Terço” (R$ 995,00); Viagens – Capitólio e Luz – COMPLEMENTO (R$ 1.406,00); Doações para socorrer irmãos enfermos (R$ 1.455,10); Bíblias e brindes para sorteio (R$ 1.089,91); Lanches / Visitantes, Filmagens, Manutenção, etc (R$ 1.379,89).

Portanto, em 04/02/2012, nossa receita era de R$ 14.446,90 e despesas no valor de R$ 13.585,80. Então, com um saldo positivo de R$ 861,10.

Além de tudo isto, devidamente registrado, temos o compromisso de contribuir com as telhas do Escritório Paroquial que está sendo construído em Guarda dos Ferreiros.

Por tudo isso agradecemos, louvamos e bendizemos a Deus pela vida e generosidade de cada membro do “Terço dos Homens”. E, a VOCÊ que vive sua Fé e pratica as obras de caridade, fica aqui o nosso sincero agradecimento. Que Deus abençoe você e seus familiares. Que por intercessão de Nossa Senhora das Graças, possa cair sobre você e sua família, uma “CHUVA DE FLORES”. Obrigado!

Salve, Rainha!

RICARDO NUNES

HOMENAGEM DO MÊS – Padre Orlando José de Oliveira

Março / 2012

Padre Orlando, obrigado por tudo que nos ensinou nestes anos em que esteve na Paróquia São Sebastião.

Obrigado por tantas pessoas que ajudou a levantar e a seguir em frente, sempre disposto a ajudar quem necessitasse.

Guardaremos sempre, em nossos corações, o seu fervor ao proclamar o evangelho, do qual tiramos muitas lições para as nossas vidas.

Que Deus o abençoe e o proteja nesta nova caminhada na Paróquia Nossa Senhora Aparecida de São Gotardo e na continuidade como administrador da Paróquia Santa Cruz de Guarda dos Ferreiros.

COMUNIDADE SÃO GOTARDO

SACRAMENTO DA PENITÊNCIA (RECONCILIAÇÃO OU CONFISSÃO)

Março / 2012

O sacramento da penitência, instituído por Jesus Cristo, alimenta-nos com a cura espiritual quando nos convertemos de fato dos nossos pecados.
Muito mais os pecados graves devem ser perdoados por Deus em confissão perante o padre. O padre é o intercessor ao ouvir e absolver os pecados em nome da Trindade Santa.
Para se fazer uma boa confissão é necessário bom exame de consciência, arrependimento e a vontade firme de não cometer mais pecados. Necessariamente devemos cumprir a penitência predita pelo padre.
Um exame de consciência bem feito é aquele no qual analisamos bem os nossos pecados cometidos após a confissão passada.
Não podemos ficar no pecado, pois estamos no mundo para nos santificar e sermos eleitos a viver no paraíso eterno, onde seremos glorificados.
Pecado? O que é pecado? Pecado é tudo aquilo que é contrário à vontade de Deus, e que jamais perde a forma com o tempo, ou melhor, tudo o que foi pecado desde os primórdios, continuará sendo para todo o sempre. E, infelizmente, novos pecados vão surgindo e outros mudam de forma ou teor. Vivemos num mundo onde o pecado pode rodear-nos a todo momento.
Com raras exceções, as pessoas conseguem se precaver das tentações (provações).
Todavia, sendo bons cristãos, não podemos cair nas tentações, vivendo uma vida cada dia mais santa aos olhos de Deus, sendo testemunhas da boa observância dos mandamentos e dos preceitos da Igreja Católica.
Façamos bons exames de consciência e confessemos os nossos pecados ao representante de Deus (o padre), sendo firmes em não pecar novamente.
O mundo não é do pecado, mas da santificação.
FÁBIO GALVÃO – Paróquia Nossa Senhora Aparecida

FILHOS

Janeiro de 2011

“QUEM HONRA O SEU PAI ALCANÇA O PERDÃO DOS PECADOS.”

“QUEM HONRA O SEU PAI TERÁ ALEGRIA COM SEUS PRÓPRIOS FILHOS.”

“QUEM RESPEITA O SEU PAI TERÁ VIDA LONGA, E QUEM OBEDECE AO SEU PAI É O CONSOLO DA SUA MÃE.”

Quando olho para palavras desta magnitude fico imaginando o porquê de acontecerem tantos acidentes em família.

Busco respostas para muitas perguntas e tudo me leva a crer que os filhos são o que são não por mera escolha, mas por omissão de muitos pais.

Quando na Bíblia encontramos a palavra “respeito”, ela nos vem como algo forte, acima de qualquer suspeita.

O pai, a mãe, podem e devem repreender o filho diante de atitudes erradas; e não só os pais, é dever de todo cristão conduzir seu semelhante para um bom caminho.

Os filhos devem entender as dificuldades da família e participar das conversas, mas não podem receber todas as atenções; e por serem peças fundamentais devem ser moldados para serem verdadeiros homens de bem.

Quando Paulo escreve aos Colossenses, ele diz: “Que a palavra de Cristo, com toda a sua riqueza, habite em nós. Ensinai e admoestai-vos uns aos outros com toda a sabedoria.” “Filhos, obedecei em tudo aos vossos pais, pois isso é bom e correto no Senhor.”

Temos a oportunidade de experimentar ser filho e nem todos experimentarão ser pai.

Como observamos os ensinamentos passados de geração para geração? Como entendemos aquilo que Deus nos ensina? Não podemos negar nossa negligência quando falamos da família, quando pregamos ideologias que não vão ao encontro do propósito do Pai.

Quem se torna pai não deixa de ser filho, e um filho jamais deixará de ter um pai.

É como filhos que devemos observar aquilo que Deus espera de nós. E ser FILHO é ser exigente.

O Pai não nos permite tudo, impõe limites, responsabilidades, tempo! E é assim que aprendemos a amar, respeitar.

O mundo moderno impõe regras novas! Faz-se urgente repensarmos muitas de nossas atitudes.

Pais: formem seus filhos em família, eduquem-nos, não deixem que o mundo lá fora tome conta deles. O mercado é seletivo e vós vivereis para sempre na memória dos teus filhos.

Não foi com permissividade que Deus conquistou e libertou o teu povo.

Jesus Cristo, quando saiu de perto de seus pais, colocou-se diante dos doutores.

Os filhos de hoje, quando deixam seus pais, colocam-se diante dos vícios, da prostituição, dos crimes.

Filhos, não permaneçam cegos!

Pais: sejam como José e Maria! Vão à procura dos teus filhos enquanto é tempo.

AMILTO – AGENTE DA PASCOM

divisoria

EPIFANIA DO SENHOR

Janeiro de 2011

Com os magos, guiados pela estrela, caminhamos ao encontro do Salvador da humanidade.

A palavra Epifania significa “apresentação”, “aparição”. É empregada pelo calendário Litúrgico da Igreja, para designar a apresentação de Jesus Cristo aos povos. Santo Agostinho comenta que Epifania é uma palavra grega que significa “manifestação”. Na pessoa dos Reis Magos, o Menino-Deus se revelou a todas as nações que, no futuro, seriam iluminadas pela luz da Fé.

A Epifania é a revelação de querer salvar a todos. Jesus se manifesta a todos os povos, representados pelos Reis Magos.

O Menino Jesus nasce. Os magos guiados por uma estrela, encontram a criança com Maria, prestam-lhe homenagem e presenteiam-no com ouro, incenso e mirra.

Ora, o que movia o fundo da alma dos Reis Magos era o desejo de prestar culto de adoração Àquele que acabara de nascer. O significado da moção do Espírito Santo, levando-os a Belém, cifra-se no chamado universal de todas as nações à salvação e à participação nos bens da Redenção.

Se aos Reis Magos Deus os chamou por meio da estrela, a nós Ele nos chama através de Sua Igreja, com sua pregação, doutrina, governo e Liturgia. Logo, a Epifania é a festa que nos convida a agradecermos ao Senhor, como também a Lhe implorar a graça de sermos guiados sempre a por toda parte através de Sua luz celeste, bem como de acolhermos com fé e vivermos com amor todos os dons que a Santa Igreja nos dá.

Todos nós cristãos devemos render graças a Deus pai pela manifestação de seu filho, Jesus que trouxe a Salvação para humanidade inteira. O que os magos adoram lá em Jerusalém não era uma simples manifestação de Deus, como se fosse uma continuação das manifestações de Deus no Antigo Testamento. Esta manifestação de hoje é o próprio Deus se mostrando, se revelando “ao vivo”. Se todos nós, seres humanos, tivéssemos um pouco mais de fé nestas manifestações de Deus, com certeza, as violências, as injustiças, as explorações, a fome, as torturas, os seqüestros e outros diminuiriam.

Deixemo-nos guiar pela Estrela do Menino, deixemo-nos iluminar pela sua luz! Com os magos, ajoelhemo-nos diante daquele que nasceu para nós e está nos braços da sempre Virgem Maria Mãe de Deus: ofereçamos-lhe nossos dons: não mais mirra, incenso e ouro, mas a nossa liberdade, a nossa consciência e a nossa decisão de segui-lo até o fim. Assim, alegrar-nos-emos com grande alegria e voltaremos ao mundo por outro caminho, “não em orgias e bebedeiras, nem em devassidão e libertinagem, nem em rixas e ciúmes. Mas vesti-vos do Senhor Jesus e não procureis satisfazer os desejos da carne. Deixemos as obras das trevas e vistamos a armadura da luz” (Rm 13,13.12).

COLABORADORA: PAULA (CATEQUISTA)

divisoria

DEVOÇÃO A SÃO SEBASTIÃO

Janeiro de 2011

São Sebastião, santo patrono de São Gotardo, é considerado o protetor contra a fome, a peste e a guerra, e também dos agricultores e dos militares.

Aqui na nossa cidade temos a tradição de todos os anos, nossos procuradores e festeiros, juntamente com o nosso pároco, realizarem as novenas de são Sebastião na zona rural.

Conversamos com alguns desses procuradores e um festeiro, para saber como começou essa devoção e empenho na realização das novenas.

Wilson Divino Albino, procurador e coordenador, nos contou uma história muito bonita. A devoção veio de família, especialmente de seu pai, um dos pioneiros desta festa há mais de 50 anos, que, antes de morrer, pediu-lhe que continuasse também como procurador. Wilson já participa há três anos e disse que sua família sempre colocou são Sebastião à frente de tudo em suas vidas. “Ele sempre olhou por nós, evitando pragas e doenças em nossas criações e plantações”.

José Alves Rocha nos falou que seu pai, Sebastião, recebeu o nome em homenagem ao santo. Crescendo com grande devoção, ele tornou-se festeiro e procurador nos Coqueiros, a partir de 1955. Tradição que vem passando, de geração em geração, para os filhos. Ele também é um dos pioneiros.

Sebastião Gonçalves de Faria, procurador, disse também ter mais de 50 anos de festa, desde que morava na cidade de Tiros. Ele relatou que são Sebastião sempre fez parte da vida de sua família e que nunca enfrentaram períodos de doenças e peste em suas criações.

Élcio Eduardo Urbano, festeiro, disse que, acima de tudo, sua fé e devoção a são Sebastião tem o objetivo maior de ajudar a Igreja, principalmente na construção da igreja Santa Luzia, no bairro Boa Esperança.

Que essas bonitas histórias, que vem passando de geração em geração, continuem! E que os mais jovens sigam os exemplos dos mais maduros, caminhando sempre em frente com as nossas belíssimas novenas.

Que são Sebastião continue protegendo, não somente os procuradores e festeiros com a qual conversamos, mas a todos aqueles que ajudam e fazem parte dessa maravilhosa festa.

CRISTIANE OLIVEIRA MELO – AGENTE DA PASCOM

divisoria

DIA INTERNACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS (10 de dezembro)

Dezembro de 2010

Para começar esse assunto, quero aproveitar o tema da Campanha para a Evangelização 2010: em “CRISTO SOMOS NOVAS CRIATURAS”.

Viver em um mundo onde somos convocados a viver direitos sem estarmos preparados e até conscientes desse dever, é clamar ainda mais forte para a Divindade suprema. Pensar a nossa capacidade de doação ao irmão menos favorecido é lindo demais, porém quando olho para o mundo cheio das mais diferentes violências é doído, é dolorido. São duas situações opostas e que cabem reflexões distintas.

Para viver intensamente aquilo que é de direito comunitário, deve-se estar revestido do Cristo e ser verdadeiramente nova criatura, não num mundo novo, mas transformando o nosso mundo, fazendo com que o novo aconteça.

E fazer com que o novo aconteça não é simplesmente aceitar o que vem com a modernidade, não é aderir a novos conceitos, muito menos engolir aquilo que é imposto por poderes superiores. Antes de tudo se faz necessário a unidade, ou seja, a união entre religiões, famílias, empresas, povos, nações, partidos, etc.

É importante que a sociedade esteja unida. É fundamental que toda sociedade tenha em quem confiar, em quem acreditar. Este foi o papel de Jesus Cristo: fazer crer, confiar, curar, salvar, ensinar…

Mas como ser nova criatura? Como ser novo em Cristo? Como viver intensamente os direitos humanos? Aprendamos a olhar os VALORES, pois serão eles o caminho ideal para chegar onde se deseja. Não haverá direito humano se não existir a família, direito a manifestação religiosa, a educação, a saúde, o bem-estar, a manifestação de ideias, e tantos outros.

Não haverá Direito Humano se não lutarmos por eles.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS – Adotada e proclamada em 10 de dezembro de 1948.

* Veja a Declaração em http://www.onu-brasil.org.br/documentos

Falar em direitos humanos, em um tempo em que cada vez mais as igrejas se dividem, os homens e mulheres criam situações para as separações, e permitimos as mais diferentes violências, ignorá-las até que elas nos atinjam, é nosso lema. Falamos dos representes políticos e acabamos fazendo as mesmas coisas que eles fazem. Com um simples gesto, abaixamos as cabeças. Somos omissos na educação dos jovens, dos filhos, para não dizer que somos omissos na construção do projeto desenhado por Deus e praticado pelo FILHO.

Quem terá a coragem que teve o Cristo? Os grupos se escondem atrás das mais diferentes facções para defenderem os seus interesses que nem sempre são comunitários. E em Cristo não ter medo é sinal de salvação, é Ele que diz “hoje mesmo você estará comigo no paraíso”.

Não é Deus que exclui. É a própria pessoa que o faz com suas ações.

AMILTO – AGENTE DA PASCOM

divisoria

DIA NACIONAL DA FAMÍLIA (8 de dezembro)

Dezembro de 2010

Na educação de nossos filhos todo exagero é negativo.

Responda-lhe, não o instrua.

Proteja-o, não o cubra.

Ajude-o, não o substitua.

Abrigue-o, não o esconda.

Ame-o, não o idolatre.

Acompanhe-o, não o leve.

Mostre-lhe o perigo, não o atemorize.

Inclua-o, não o isole.

Alimente suas esperanças, não as descarte.

Não exija que seja o melhor, peça-lhe para ser bom e dê exemplo.

Não o mime em demasia, rodeie-o de amor.

Não o mande estudar, prepare-lhe um clima de estudo.

Não fabrique um castelo para ele, vivam todos com naturalidade.

Não lhe ensine a ser, seja você como quer que ele seja.

Não lhe dedique a vida, vivam todos.

Lembre-se de que seu filho não o escuta, ele o olha.

E, finalmente, quando a gaiola do canário se quebrar, não compre outra…

Ensina-lhe a viver sem portas.

Deus, obrigada pela minha família que me ajuda nas horas que mais preciso; pelos meus amigos, fiéis, que mesmo com todos os meus defeitos, me escolheram para dividir as suas vidas.

Agradeço o pouco que eu tenho, pois o pouco contigo é tudo o que preciso!

Obrigada também pelos meus inimigos, pois graças a eles hoje eu sei o que eu NÃO QUERO SER, e por isso busco meu melhor!

Amém!

Bárbara Moraes / Eugênia Puebla

divisoria

EUCARISTIA: PÃO DA VIDA

Dezembro de 2010

– Você sabe o que é Eucaristia? Você acredita nela? Será possível? Ou será apenas um ritual?

– Vejamos…

A Eucaristia é o alimento. Ninguém vive sem se alimentar. Para viver dependemos não só da comida, mas também do pão da fraternidade, do carinho, da justiça. Nessa experiência de repartir o pão de cada dia, seja o pão de trigo, seja o pão da dor ou da alegria, Deus está presente.

Celebrar a Eucaristia é também uma denúncia contra a falta de fraternidade que existe no mundo; porque na Eucaristia comemos do mesmo pão, quando na vida falta pão para tanta gente. Acreditamos e celebramos tudo isso na comunhão.

A Eucaristia é Deus mesmo se repartindo como pão, na doação de Jesus.

A santa Eucaristia conclui a iniciação cristã. Os que foram elevados à dignidade do sacerdócio régio pelo Batismo e configurados mais profundamente a Cristo pela Confirmação, estes, por meio da Eucaristia, participam com toda a comunidade do próprio sacrifício do Senhor.

“Na Eucaristia, nós partimos ‘o único pão que é remédio de imortalidade, antídoto para não morrer, mas para viver em Jesus Cristo para sempre’ ” (Santo Inácio de Antioquia)

LANCIANO, ITÁLIA – Há 700 anos atrás, um padre duvidava que a Eucaristia pudesse ser o corpo e o sangue de Cristo.

Nisso, numa celebração, a hóstia consagrada transformou-se em carne e sangue na frente de todos. O sangue está coagulado, mas é fresco como novo.

O fenômeno extraordinário (milagre) é comprovado até pela ciência, que diz tratar-se de carne e sangue humano.

ELIZÂNGELA S. BARBOSA – AGENTE DA PASCOM

divisoria

IMACULADA CONCEIÇÃO

Dezembro de 2010

Nossa Senhora Imaculada é o dogma que a Igreja definiu em 1854, pelo Papa Pio IX, em que Maria Santíssima não conheceu o pecado original.
Falar da Imaculada Conceição de Nossa Senhora é fazer referência a um privilégio que ela recebeu: foi preservada do pecado original desde o primeiro momento de sua existência. A razão dessa graça excepcional reside na vocação que recebeu – a mais sublime das vocações: ser Mãe de Jesus Cristo, o Filho de Deus. Seu privilégio não se explica, pois, em seus próprios méritos, mas nos merecimentos que Jesus Cristo adquiriria para a humanidade.
O livro de Gn 3, 15 ensina que: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre tu, da graça de Deus”. Estando totalmente possuída por Deus, não havia em si espaço para o pecado.
Não há na Bíblia uma afirmação explícita que Maria tenha sido concebida sem pecado original. Trata-se de uma verdade que foi ganhando corpo na vida da Igreja, ao longo de sua história.
Notemos bem as seguintes verdades: – também Maria necessitava da redenção; – ela não tinha poder de se auto redimir; não tinha, por ela mesma ou por seus pais, qualquer merecimento próprio; – não foi privilegiada porque era virtuosa; era virtuosa porque foi privilegiada por Deus, em vista de sua missão singular; – em Maria, tudo é graça, e a fonte dessa graça é Deus; – foi livre do pecado no início de sua existência; livre do pecado ao longo de toda a sua vida; – a Igreja afirma, de maneira absoluta e permanente, ela, ao longo de toda a sua vida, continuou livre de todo pecado pessoal e até da própria inclinação ao pecado.
Quando fazemos referência ao pecado original, devemos lembrar a desordem que ele causou no ser humano e na natureza: a) inclinação à autoafirmação e à autossuficiência diante de Deus, quando o normal seria um relacionamento de filho para Pai; b) homens e mulheres passam a não se reconhecer como criaturas de Deus e, por isso mesmo, esquecem sua origem e seu fim; rompem a Aliança; sofrem desequilíbrios; não se entendem com seu semelhante, daí multiplicarem-se manifestações de ódio e violência, de injustiças e guerras; homens e mulheres não compreendem a natureza e a destroem.
Em Maria, nada disso aconteceu. Nela, em vez de desordem e confusão, há ordem. Não experimentou a inclinação ao pecado, que nasce do pecado e conduz ao pecado. É uma nova criatura. Isenta do pecado, tem melhores condições de ver a gravidade do pecado e as escravidões que este gera em seu caminho.
Maria é totalmente de Deus. É um modelo a imitar. É fonte de santidade para a Igreja: também nós, à medida que conseguimos crescer na santidade, santificamos a Igreja. A missão de Maria a une a nós: precisamos de Cristo para a salvação; Maria é que nos deu Cristo, o Salvador. Em Maria e em nós atua a mesma graça: se Deus nela realizou o seu projeto, também o realizará em nós, desde que colaboremos com sua graça, como ela o fez. Maria é a criatura humana em seu melhor estado.

DOM EURICO DOS SANTOS VELOSO

divisoria

SOLENIDADE DE JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO (Lc 23, 35-43)

No dia 21 de novembro celebramos a Festa de Cristo Rei.

Jesus: o Único e Verdadeiro Rei; Rei do universo, das nossas vidas, das famílias e dos corações.

Com a Festa de Cristo Rei nós encerramos o Ano Litúrgico C.

Cristo Rei foi uma das últimas celebrações instituída pelo Papa Pio XI, na época em que o mundo passava por crises, com grandes problemas, culminando com a 2ª Guerra Mundial.

O Papa Pio XI instituiu essa festa para que todas as coisas culminassem na plenitude em Cristo Senhor, simbolizado no que diz o Apocalipse: ”Eu sou o Alfa e o Ômega, Principio e Fim de todas as coisas.” (Ap 1,8) Ressalta a restauração e a reparação universal realizada em Cristo Jesus, Senhor da vida e da história. Nessa festa, celebra-se também nossa participação no Reino de Deus, sob a condição de aderirmos à verdade trazida por Jesus, pela qual somos caminheiros que se dirigem à Casa do Pai, para participarmos da mesa do Reino e de assumirmos o compromisso do Evangelho.

A celebração, fechando o Ano Litúrgico C, traz para nós cristãos a reflexão em torno da vida de Jesus que significa para nós a salvação, onde impera no mundo o pecado.

Pilatos pergunta a Jesus se ele é rei, e Ele responde que seu reino não é deste mundo de injustiça, ódio, morte e dor. Ele é rei do reino de seu Pai que, como pastor, guia a sua Igreja neste mundo para o reino celeste. Por isso, fazer parte desse Reino é fazer comunhão com Ele, transformar o mundo em que vivemos.

Jesus Cristo é rei e pastor que nos leva ao Reino de Deus, que nos tira das trevas do erro e do pecado, que nos guia para a plena comunhão com o Pai pelo amor. Jesus nos aponta como “Caminho, Verdade e Vida” (Jo 14, 6) para que possamos imitá-lo mesmo diante de nossas fraquezas e medos, morrer com Ele para participarmos de sua vitória.

Olhando o nosso mundo, vemos o sofrimento de tantos irmãos que trazem consigo a cruz de Cristo, como sinal de vitória e de redenção do mundo. Mesmo diante dos obstáculos, não podemos ser derrotados. Não podemos querer entender a Deus em seu mistério, nem duvidar de seu amor para com todos, mas acolher tudo por amor a Deus, como festa de um grande banquete do qual um dia participaremos na eternidade.

A realeza de Jesus não é deste mundo, por isso devemos anunciar a verdade libertando os homens do pecado, dando-lhes uma verdadeira conversão do coração.

Jesus é a testemunha fiel da verdade, isto é, seu desígnio de salvação do mundo. Veio revelar com a própria vida o grande sacrifício da cruz, da sua paixão e morte por amor, nessa mesma cruz pela qual Ele atrairá todos ao seu coração. Tudo por amor, fonte primeira de união com Deus, Ele desfaz as injustiças em liberdade, tornando grande sacerdócio do povo santo de Deus em que cada um se santifica no mundo.

Ser cristão é construir o Reino de Cristo no mundo através do serviço gratuito e fraterno, humilde, deixando-se fazer a vontade do Pai. Você está disposto a fazer acontecer o Reino? De que maneira?

Junto com a solenidade de Cristo Rei, celebra-se o Dia do Leigo e da Leiga, que possuem uma vocação especial, muitas vezes esquecida. Ser leigo e leiga no mundo de hoje é um desafio. Os cristãos leigos ocupam diversos serviços na vida da Igreja e assumem uma vocação particular de constituir família e ser testemunho no meio dos outros, como pedras vivas da Igreja, trabalhadores do Reino Cristo-Rei.

Padre José Cipriano Ramos Filho

divisoria

Morte: tempo de encontros

Publicado em novembro de 2010

Se a correria da vida não oferece oportunidades para que as pessoas se encontrem, a morte acaba sendo a responsável pelos mais diferentes encontros. A morte encurta distâncias, recria laços, desfaz diferenças, faz as pessoas olharem para si mesmas. A morte entendida como partida pode ser vista agora, mais do que nunca, como um tempo de encontros. Não é somente quem morre que encontra Deus, muito mais os que permanecem vivos. Não somente os vivos que se encontram com os mortos, é também o encontro entre os vivos.

Ainda não são raros os velórios dolosos, por irresponsabilidade do próprio ser humano, as guerras, os vícios, a violência, pois para Deus a morte seria uma consequência da vida; seria ela uma consequência natural dos dias bem vividos. Não somos capazes de fazer as melhores escolhas para se viver muito e bem.

Somos capazes de escolher o que encurta a vida, e não paramos para pensar no que nos leva a viver muito mais, como a promoção da paz, na vida em família, na reedição dos bons valores e bons costumes, na boa vizinhança…

Apesar de toda tecnologia, ainda continuamos a menosprezar a vida. Apesar de tanto conhecimento, continuamos a orar pedindo a Deus uma vida longa, mesmo Ele nos já ter abençoado.

Mais ainda assim, nossos encontros e reencontros proporcionados pela morte física do corpo, da carne, em muitas oportunidades, raras, na dor a alegria de encontrar alguém que a muito não se via. Os olhares, o abraço, o encontro, a conversa, a lembrança, as histórias, o velho, o novo, o passado, presente e futuro. Hoje, agora, eu posso dizer: que bom!

Nossa capela Velório, capela de Encontro, independe de sua religiosidade, nacionalidade, raça, estado civil, partido político, profissão, etc… O que jamais imaginaremos realizar em vida, seremos capazes de realizar com a morte. Não queiramos entender a vida, mas começamos a entender a morte.

Porque não dizer que a morte pode nos reeducar?

Para e pense! Olhe para o céu, a morte vai chegar para mim, para você e é aí que vamos nos ver como iguais, fracos, desapegados e silenciosos.

O Apóstolo Paulo nos ensina: “Se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos habita em vós, aquele que ressuscitou Cristo Jesus dentre os mortos dará vida também aos vossos corpos mortais.” Para essa esperança, o próprio Deus nos deu a garantia ressuscitando o seu Filho Jesus. Se Deus ressuscitou a Ele, então nós temos a prova de que este Deus não deixa os mortos na morte. Se Deus ressuscitou Jesus, diz Paulo, então “Ele também ressuscitará a todos nós.” (I Cor 6,14)

AMILTO – AGENTE DA PASCOM

divisoria

Proclamação da República do Brasil (15 de novembro)

Publicado em novembro de 2010

Quinze de novembro

Data especial

Data em que o país

Comemora sua raiz.

O povo grita

O povo clama

Há sempre uma chama

No coração de quem ama.

Óh povo brasileiro

Ô povo guerreiro

Sempre trabalhador

Com fé e amor.

Liberdade proclamada

Esperança reacendida

Somos todos guerreiros

Lutando pela vida.

TAIENE BARBOSA

divisoria

Casamento comunitário: um sonho que se torna realidade

Publicado em novembro de 2010

Um dos estados de vida que é santificado por Nosso Senhor Jesus Cristo é o sacramento do matrimônio.

Assim como Jesus abençoa um sacerdote como um sacramento especial, também abençoa o homem e a mulher que se unem para formar uma família.

E foi pensando no valor crucial que tem a família, que a Igreja Católica criou o casamento comunitário, dando oportunidade a casais que desejam regularizar a situação diante de Deus.

Com o apoio das paróquias São Sebastião e Nossa Senhora Aparecida, em 2010 já foi realizado a união gratuíta de 16 casais de união já estável, mas, que por motivo de recursos financeiros, encontravam-se impossibilitados de arcar com os custos de uma cerimônia religiosa.

Afinal, o casamento nada mais é, como afirma Mikel Santamaría Garari: “O amor humano autêntico é uma entrega total da própria pessoa: alma, coração, corpo, toda a própria vida, presente e futuro. Quando duas pessoas se amam, sabem que vão compartilhar toda a sua vida. O casal é isto: um com o outro para sempre, em tudo, para terminar nos filhos. Já não são dois, mas uma só carne e uma só vida. Antes eram duas vidas independentes que, de vez em quando, coincidiam. Agora, estão intimamente ligados. A vida de um é inseparável da do outro. Até nas coisas mais concretas.”

ELISÂNGELA S. BARBOSA – AGENTE DA PASCOM

divisoria

CRISMA: O valor do sacramento

(texto provisório)

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu; e enviou-me para anunciar a boa nova aos pobres, para sarar os contritos de coração”.

Publicado em novembro de 2010

A palavra Crisma vem do grego ‘christós’, que significa ‘unção’. Ungido com o óleo para uma missão.

Jesus é reconhecido pelos cristãos como o “ungido de Deus”. Isto é, o Messias, o Cristo.

A crisma é o sacramento da iniciação cristã, que fecunda o batismo e vincula-nos mais estreitamente à Igreja. Fortalece-nos para a vida comunitária por força dos dons do Espírito Santo.

É também chamada de Confirmação do Batismo, porque no batismo quem diz SIM são os padrinhos, mas, na crisma, quem diz SIM são os crismandos.

No Batismo recebemos o Espírito Santo como vida Divina, que Deus Pai comunica a fim de libertar-nos do pecado e introduzir-nos em sua comunhão.

Na Crisma, o Espírito Santo nos enriquece com a plenitude de seus dons. Tem sentido de “tornar firme” e indica a força de Deus que é dada com a unção do batizado através do Espírito Santo, para ele ser membro responsável na comunidade cristã, assumindo sua vocação e missão de batizado, e que persevere até o fim no testemunho de Jesus Cristo

A palavra “Crisma” é o sacramento, ao passo que “o crisma” é o óleo santo. Quando usamos a crisma queremos realçar o símbolo da unção com o óleo.

Quem celebra a crisma é o Bispo, ou o padre (por delegação, em caso de impossibilidade da presença do bispo). No momento da unção, o Bispo unge a fronte do crismando com o santo crisma, marcando-o com o sinal do Espírito Santo, afim de que conheça a quem pertence (II Cor 1,21-22), e diz:” Recebe, por este sinal, o Dom do Espírito Santo. A paz esteja contigo”, e dá um tapinha no rosto do então crismado, em sinal de despertar para evangelizar, proclamar a Boa Nova, dar vida nova.

Quem nos confirma em Cristo, e nos consagrou, é Deus. Ele nos marcou com seu selo e deu aos nossos corações o penhor do Espírito Santo.

A crisma é a força de Deus, é o sacramento do cristão que está amadurecendo na fé.

Nós só conseguimos viver porque Deus nos dá essa força, o Espírito Santo agindo em nós.

CRISTIANE OLIVEIRA – AGENTE DA PASCOM

divisoria

MISSÕES: SÃO-GOTARDENSE EM TIMOR LESTE

Publicado em outubro de 2010

Tendo nascido em São Gotardo, onde nasceu sua vocação sacerdotal, Frei João Bosco Resende da Silva, OFM, entrou na Ordem Franciscana em 1984.

Depois de muitos trabalhos em Minas Gerais, em paróquias Franciscanas, nosso irmão em Cristo resolveu fazer um trabalho relacionado a Missões ad gentes.

Querendo acrescentar algo novo, após curso preparatório de 25 dias, Frei João Bosco está em Timor Leste (Ásia) desde 2008, onde muita coisa é diferente. O contrato vencerá em 2011.

A exemplo de são Francisco de Assis, o trabalho missionário (o discipulado do Evangelho), é próprio de sua Ordem.

No dia de sua viagem, 31/01/2008, ele disse: “A expectativa é de sucesso, uma experiência nova, estar entre um povo simples.” Ele completou: Antes que o missionário chegue ao local para colocar sua semente, a semente do Reino já foi colocada ali.

OUTRAS PALAVRAS DE FREI JOÃO BOSCO:

Aqui em Timor Leste eu respondo pela minha Província de Minas Gerais. Mas, ao lado disso, quero também ser uma pessoa que representa São Gotardo. Em outras palavras, dentre muitas outras coisas, São Gotardo contribui para Timor Leste através de um trabalho missionário.

Em Timor, existem muitos missionários religiosos, religiosas e leigos, e existem muitas vocações femininas e masculinas.

O país é quase que totalmente católico e bastante familiar. Não há as pastorais paroquiais, a não ser para os sacramentos.

São três as principais festas: o Batismo, o Casamento e o Velório.

Todo mundo respeita o que é sagrado. As igrejas estão sempre cheias, com muitas comunhões. O silêncio é perfeito e sempre tem corais.

Sempre fico alegre quando se fala de São Gotardo, porque ela já ofereceu muitos padres e religiosos para o trabalho de evangelização.

É muito importante a saída de si para o outro (o próximo).

FONTE: Materiais enviados pelo Frei João Bosco

divisoria

DIA NACIONAL DA JUVENTUDE

Estamos em Jubileu! Em 2010 completam-se 25 anos de celebração do Dia Nacional da Juventude. Esta é uma história marcada por muita reza, muita luta e muita festa! Um caminho feito pelos próprios jovens e amigos da juventude, em todos os cantos deste país.

Uma história de 25 anos é composta de muitas memórias, guardadas no coração de milhares de jovens e seus grupos pelo Brasil afora.

A memória do DNJ só é possível de ser feita se contada pelos grupos de jovens deste país.

Que os grupos de jovens acolham e celebrem esse Jubileu como graça da bondade de Deus e seu carinho pela juventude.

Que o Jubileu do DNJ fortaleça a fidelidade da juventude e de toda a Igreja no seguimento e testemunho de Jesus Cristo, que quer vida plena para todos nós.

E, como grande missão, a Pastoral da Juventude de São Gotardo convida você, jovem com idade de 18 a 30 anos ou mais, para fazer parte dessa família e projeto de levar Deus à família e amigos.

Venha você também fazer parte da Pastoral da Juventude. Reuniões, todos os sábados, às 19h30, no Centro Catequético (acima da igreja Matriz).

JOVEM: “Meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com suas gloriosas riquezas em Jesus Cristo” (Filipenses 4,19).

WANDERSON DE OLIVEIRA – AGENTE DA PASCOM (FONTE: Internet)

divisoria

SÍMBOLOS DA PÁSCOA

Fonte: http://www.cancaonova.com

PÃO E VINHO
Foi na última ceia (Quinta-feira Santa) que Jesus escolheu o pão e o vinho para dar vazão ao seu amor. Transformados em seu Corpo e Sangue, foram oferecidos aos seus discípulos.
A CRUZ
Jesus que morreu na cruz para nos salvar, deu à humanidade mais uma lição de humildade: sendo Filho de Deus, que tudo pode, ele morreu da forma mais humilhante que havia em seu tempo.
A cruz nos recorda o sofrimento e a ressurreição de Jesus Cristo.
No Conselho de Nicea, em 325 d,C., Constantim declarou a cruz como símbolo oficial do cristianismo. Temos não somente um símbolo da Páscoa, mas um símbolo da fé católica, o sinal do cristão.
O CORDEIRO
O cordeiro é o símbolo mais antigo da Páscoa, relembra o sacrifício realizado pelos israelitas no primeiro dia da Páscoa, como símbolo da libertação do Egito.
No Novo Testamento, o Cristo é o Cordeiro de Deus, que se sacrificou pela salvação de toda a humanidade.
“Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”.
ÓLEOS SANTOS
É na Quinta-feira Santa que se celebra a missa do Crisma, na catedral, onde os óleos sacramentais usados no Batismo, Crisma e Unção dos Enfermos são abençoados pelo bispo e os sacerdotes.
O óleo simboliza o Espírito Santo, aquele que nos dá força para vivermos o evangelho de Jesus Cristo.
O FOGO
No início da cerimônia da Vigília Pascal, na noite do Sábado Santo, a celebração é iniciada com a benção do fogo, chamado de “fogo novo”.
O fogo é também símbolo da vida nova, da realidade da criação renovada pela morte e ressurreição de Jesus.
O CÍRIO PASCAL
É uma vela grande e grossa, que deve ser acesa todos os anos, pela primeira vez, no Sábado Santo, no início da celebração da Vigília Pascal.
Faz-se, se a inscrição dos quatros algarismos do ano em curso; depois se cravam cinco grãos de incenso, que lembram as cinco chagas de Jesus, além de duas letras gregas “Alfa” e “Ômega” a primeira e última letras do alfebeto grego. O alfa representa o princípio e o ômega, o fim.
O círio, simbolizando Cristo vivo, ressuscitado, é a luz que ilumina e guia a vida do cristão; pois o próprio Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo!”
“Eu sou o princípio e o fim”.
A ÁGUA
No Sábado Santo, durante a celebração da Vigília Pascal, o sacerdote faz a benção da água batismal que será utilizada nos batismos durante o ano, mergulhando o círio pascal na água, invocando a força do Espírito Santo, havendo ou não batismos.
A aspersão do povo com a água benta, se realiza a renovação das promessas batismais.
A água simboliza pureza, purificação e renovação.
COELHOS
É o símbolo da fertilidade, são animais que reproduzem com facilidade e em quantidade. Representa, portanto, a capacidade da Igreja produzir novos discípulos e espalhar pelo mundo a mensagem de Cristo.
OVOS DE PÁSCOA
Simboliza uma nova vida. Vida que está para nascer.
Os cristãos primitivos do oriente foram os primeiros a dar ovos coloridos na Páscoa simbolizando a ressurreição, o nascimento para uma nova vida.
A ressurreição de Jesus também indica o princípio de uma nova vida.

divisoria

CORPUS CHRISTI

Maio de 2010

Em todo o mundo, comemora o dia de Corpus Christi, nome que vem do latim e significa “Corpo de Cristo”.

A festa de Corpus Christi tem por objetivo celebrar solenemente o mistério da Eucaristia – o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo.

Acontece sempre em uma quinta-feira, em alusão à Quinta-feira Santa, quando se deu a instituição deste sacramento. Durante a última ceia de Jesus com seus apóstolos, Ele mandou que celebrassem Sua lembrança comendo o pão e bebendo o vinho que se transformariam em seu Corpo e Sangue.

“O que come a minha carne e bebe o meu sangue, tem a vida eterna e, eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne é verdadeiramente comida e o meu sangue é verdadeiramente bebida. O que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. O que come deste pão viverá eternamente” (Jo 6, 55 – 59).

Através da Eucaristia, Jesus nos mostra que está presente ao nosso lado, e se faz alimento para nos dar força para continuar. Jesus nos comunica seu amor e se entrega por nós.

Origem da Celebração

A celebração teve origem em 1243, em Liège, na Bélgica, no século XIII, quando a freira Juliana de Cornion teria tido visões de Cristo demonstrando-lhe desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque.

Em 1264, o Papa Urbano IV através da Bula Papal “Trasnsiturus de hoc mundo”, estendeu a festa para toda a Igreja.

A procissão com a Hóstia consagrada conduzida em um ostensório é datada de 1274. Foi na época barroca, contudo, que ela se tornou um grande cortejo de ação de graças.

No Brasil

No Brasil, a festa passou a integrar o calendário religioso de Brasília, em 1961, quando uma pequena procissão saiu da Igreja de madeira de Santo Antônio e seguiu até a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima. A tradição de enfeitar as ruas surgiu em Ouro Preto, cidade histórica do interior de Minas Gerais.

A celebração de Corpus Christi consta de uma missa, procissão e adoração ao Santíssimo Sacramento.

A procissão lembra a caminhada do povo de Deus, que é peregrino, em busca da Terra Prometida. No Antigo Testamento esse povo foi alimentado com maná, no deserto. Hoje, ele é alimentado com o próprio Corpo de Cristo.

Durante a Missa o celebrante consagra duas hóstias: uma é consumida e a outra, apresentada aos fiéis para adoração. Essa hóstia permanece no meio da comunidade, como sinal da presença de Cristo vivo no coração de sua Igreja.

Fonte: Canção Nova

divisoria

A BELEZA DAS ORIENTAÇÕES MORAIS DA IGREJA

Abril de 2010

A nossa vida de fé, de esperança e de caridade é alimentada pela Palavra de Deus, pelos ensinamentos da Doutrina Cristã Católica e pelas orientações morais da Igreja.

Na obediência aos 10 mandamentos e na escuta aos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo nos Evangelhos, e demais textos bíblicos, temos a orientação de como conduzir nosso comportamento diante de Deus e dos outros seres humanos.

A Igreja recebeu de seu Senhor o mandato de anunciar o Evangelho e batizar, para fazer de todos os povos discípulos de Cristo (Mt28, 18-20). Agindo segundo esta luz divina o fiel, pela graça divina, atinge a perfeição da caridade.

Deus nos convida à santidade pela vida de caridade diante de Deus e do próximo. Ele continua chamando-nos para ser santos (Lv19,2), perfeitos (Mt5,48) e misericordiosos (Lc 6,36) , assim como o nosso Pai celeste  é em plenitude.

A vida moral é a vida dos filhos e filhas de Deus, dos irmãos e irmãs de cristo e dos membros de seu Corpo Espiritual, é também a vida daqueles que se tornaram templos vivos do Espírito Santo pela graça santificante. Esta forma de vivência cristã chega a nós por meio dos mandamentos e orientações bíblicas e eclesiais, mediante a voz do Papa. São luzes que nos indicam o caminho da vida. São conselhos de vida e de amor e não imposições que tiram a liberdade, mas ao contrário, nos concedem a liberdade interior e nos esclarecem sobre a maldade dos caminhos que nos afastam de Deus.

As fontes da Doutrina moral Católica são basicamente três: a Bíblia, o Catecismo da Igreja Católica e alguns documentos da Igreja.

Acólito Vicente de Paulo da Silva

divisoria

QUANTO CUSTA UMA MISSA?

Março de 2010

A pessoa se debruça no balcão da secretaria paroquial e pergunta displicentemente: “Quanto está custando uma Missa?”…

Isso não é uma pergunta. É uma ofensa contra Cristo e contra a Igreja.

A Missa custa o sacrifício de Cristo na cruz. Já foi paga com a sua própria vida.

O que é a Missa? É a Ceia do Senhor. Nela, como na ceia de Jerusalém, Ele se entrega a si mesmo ao Pai em favor da humanidade. Nós a chamamos de última ceia, mas deveríamos chamá-la de primeira.

Cristo reuniu os seus discípulos naquela ceia de Páscoa, instruiu-os na Palavra de Deus, cantou com eles os salmos, ceou com eles. Foi ali que, oferecendo sua vida ao Pai, Ele deu-se a si mesmo como alimento: pão e vinho, corpo e sangue. É assim que hoje, Ele continua reunindo e alimentando seus discípulos em cada missa, com o pão da palavra e o pão da eucaristia.

A pessoa pede uma Missa por um parente que faleceu ou por uma graça particular. Está certo.

Na missa, a oração de Cristo com sua Igreja é em primeiro lugar um louvor ao Pai. Uma ação de graças. É daí que vem o nome Eucaristia. Esse louvor é feito, sobretudo, pela memória da entrega generosa de Jesus por toda a humanidade. Renova-se a oferta da cruz, tornamos presente de novo o seu sacrifício redentor. E aí o louvor já é a bênção sobre nós e nossas vidas.

Já é intercessão por todos, os vivos e os mortos, que precisam ser mergulhados na graça de Cristo.

Está certo: você pode colocar uma intenção particular na santa Missa. Mas, e não se deve pagar nada para colocar uma intenção na Missa? Quem pode pagar a graça de Deus, quem?

O preço já foi pago: foi a morte de Jesus e a sua ressurreição, que fazemos memória em cada Missa.

Se você der uma oferta, não pense que está pagando a Missa. Está dando uma oferta para cobrir as despesas, não está comprando a missa. Aliás, está dando uma oferta, porque não está pagando o dízimo. A Igreja não precisaria recorrer ao sistema de espórtulas, se a comunidade, com o dízimo, cumprisse sua responsabilidade de sustentar seus ministros, o culto e as obras de evangelização. A graça de Deus não está à venda. A graça, como o nome já diz, é de graça. É dom, é presente da bondade de Deus.

Não se paga, não se vende, nem se troca. Nos Atos dos Apóstolos 8,9-25, o mago Simão falou com Pedro, querendo comprar o dom do Espírito Santo. Pedro ficou muito bravo. Como é possível alguém querer comprar com dinheiro o dom de Deus? O amor só se paga com amor.

Fonte: Escritório da paróquia Nossa Senhora Aparecida

divisoria

A AÇÃO DE DEUS

Fevereiro de 2010

A vida no Espírito é a renovação e o crescimento da imagem e semelhança de Deus em nós. É a vocação primeira que Deus faz a todo ser humano, desde o nascimento até o último suspiro. É o Deus uno em natureza e trino nas pessoas quem nos convida a esta forma de vivência na graça, esperando uma resposta semelhante à de Maria: “Faça-se em mim segundo a vossa vontade”.

O fruto desse chamado na pessoa que responde “sim” é a perfeição da caridade do Pai, do Filho e do Espírito Santo, que se faz presente em nós. A pessoa que vive na graça e pela a graça divina sente uma enorme facilidade em fazer o bem e, ao mesmo tempo, uma grande dificuldade em fazer o mal. Tudo que fazemos no nosso dia-a-dia e que produz paz, harmonia e bem-estar em nossa convivência é fruto da vida espiritual, é a manifestação da força, da luz e da liberdade, que são qualidades próprias do Espírito Santo.

As fontes onde podemos beber da água viva, que é o Espírito Divino, para manter viva a nossa espiritualidade são: a Sagrada Escritura (Bíblia); a celebração litúrgica dos Sacramentos e a vivência diária na graça de cada um dos sacramentos recebidos; a vida de oração (pessoal e comunitária: a Santa Missa, o terço e o Rosário e todas as outras orações cristãs); a caridade familiar, comunitária e social. Outra fonte muito importante de vivência e de crescimento espiritual e a prática de atos de religião (oração profunda, jejuns, abstinências periódicas de carne e penitências ou conversões interiores dos males praticados). Por fim, a Igreja nos apresenta a aceitação e o oferecimento dos sofrimentos e dores em reparação pelos pecados próprios e alheios.

Assim a vida e a saúde de Deus se manifestam em nós e por nós na vida dos outros, como presença e ação de Deus que habita naqueles que o amam.

Acólito Vicente de Paulo da Silva

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Nuvem de etiquetas

%d bloggers like this: