SÃO GOTARDO-MG – DIOCESE DE PATOS DE MINAS

Movimentos e Ministérios

  • Apostolado da Oração
  • Coroinhas
  • CPP
  • COPAE
  • Cursilho
  • EAC
  • ECC
  • EJC
  • ENFIR
  • Legião de Maria
  • MAC
  • Mãe Peregrina
  • Ministros da Palavra
  • Ministros Extraordinários da Eucaristia
  • Ministério
  • Oficinas de Oração e Vida
  • Projeto Amor em Ação
  • RCC
  • SSVP (Vicentinos)
  • Terço dos homens

APOSTOLADO DA ORAÇÃO

O Apostolado da Oração é um grupo de pessoas que alimentam a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, rezam em nome da Comunidade, visitam os doentes rezando e lendo a Palavra de Deus. Tem como objetivo alimentar a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, como resposta lúcida, consciente e comprometida com o amor gratuito e universal de Deus para com o Povo.

Propósitos do Apostolado da Oração – Reuniões semanais para rezar (Hora Santa às 5ª feiras); vivência da Eucaristia e oferecimento diário; culto especial ao Coração de Jesus na primeira sexta-feira de cada mês; devoção a Maria Santíssima e ao Divino Espírito Santo; sintonia com a Igreja e com o Papa; visitação aos enfermos levando o conforto da Palavra de Deus.

Como é organizado – Coordenação Diocesana; diretoria; Grupos do Apostolado.

Constituindo uma associações de fiéis, que, pelo oferecimento diário de sim mesmos unidos ao sacrifício eucarístico e pela união vital com Cristo, o Apostolado da Oração colabora na salvação do mundo. Conseguem esse objetivo por meio do seguinte programa:

  • Participação vital no Mistério Eucarístico.
  • Culto ou espiritualidade do Coração de Cristo.
  • Preocupação de sentir com a Igreja.
  • Assídua oração apostólica.
  • Amor e devoção a Nossa Senhora.

Assim como o mês de maio é dedicado a Maria, o mês de junho é dedicado ao sagrado Coração de Jesus. A devoção ao Sagrado Coração de Jesus iniciou-se ao pé da cruz no momento em que o soldado com uma lança perfurou lhe o lado abrindo seu Coração, e teve seu início na França no dia 3 de dezembro de 1844.

Os membros do AO recebem a fita, que é o sinal do sagrado coração, a cor vermelha é o sangue, a vida de doação plena que o Senhor entregou por cada um de nós, a medalha tem o Sagrado coração de Jesus de um lado e do outro Coração de Maria é para nos lembrar que temos pai e mãe que nos abençoa, o Bentinho é o símbolo do AO e nele está gravado venha a nós o vosso reino isso para lembrar a todo instante que estamos buscando esse reino por isso temos que usar a fita não como enfeite nem só para mostrar a que grupo pertencemos mas sim honrá-la como um sinal do amor de Cristo por nós e o nosso por ele.

O nosso dever de apóstolos é oração, trabalho com caridade, humildade e a mansidão, temos que caminhar juntos, para servir melhor; temos que ter paciência com as pessoas principalmente com idosos e doentes. Ser apóstolos do coração de Jesus é o nosso jeito de ser igreja, de estar em união com o papa, com nossos bispos e sacerdotes – que são autoridade na igreja.

Primeiras Sextas-FeirasA prática das Primeiras Sextas-Feiras tem sido promovida especialmente pelos membros do Apostolado da Oração.

Fontes: Fonte: http://www.dioceseriobranco.com.brhttp://www.cordemaria.com.br

divisoria

COROINHAS

No início da caminhada da Igreja, quando os apóstolos eram ainda vivos, as comunidades cristãs reuniam-se nas próprias casas para celebrar a Eucaristia. O imperador perseguia e matava quem se declarasse seguidor de Jesus, de modo que as celebrações eram realizadas às escondidas.

No ano de 313, um imperador, chamado Constantino, tornou-se cristão, e o cristianismo expandiu-se sem perseguições. A partir daí começaram a ser construídas grandes igrejas e as celebrações foram ganhando nova forma, assim como foram surgindo funções e lugares próprios para cada um na Igreja.

As funções eram: Bispo ou padre; acólitos; sacristão e povo.

As igrejas também apresentavam repartições específicas, tais como: Presbitério (onde ficava o padre e o altar); coro (localizado próximo ao presbitério, onde ficavam os cantores, instrumentalistas e todos aqueles que tinham uma participação ativa na celebração, tais como acólitos e sacristão); nave (parte central da igreja, onde ficava o povo). Naquela época, o povo apenas assistia à celebração, de modo que era impedido de participar ativamente.

Os coroinhas surgiram neste ambiente. Eram chamados de meninos do coro, donde vem a palavra coroinha. Mais tarde, na hora da oração na Igreja, eles recitavam as orações e acompanhavam o sacerdote nas funções litúrgicas (cantar, servir o altar…)

Os meninos do coro aproveitavam um pouco do tempo para aprender a ler e escrever com os padres, porque naquele tempo ainda não havia escolas. Aprendiam também música, para poder acompanhar os cantos. Quando a missa era rezada em latim, o povo não respondia às orações, apenas o coroinha é que recitava as respostas.

Com o tempo a liturgia ganhou novas formas de participação, sendo que o povo começou a participar mais ativamente nos cantos, nas leituras, nas orações e nas respostas. Sendo assim o ministério do coroinha também evoluiu e hoje ele serve o altar, canta, acompanha o celebrante, reza, participa.

O padroeiro dos Coroinhas é São Tarcísio.

Para ser coroinha é preciso ter vontade de ajudar, ser disponível para Deus e sua comunidade, esforçar-se para ser bom, procurando viver o que Jesus viveu, ter feito a Primeira eucaristia e ter até 16 anos.

Fonte: http://www.cristoredentor.org.br

divisoria

CPP

CPP é o Conselho Pastoral Paroquial.

A missão da Igreja é EVANGELIZAR. Por isso, esperamos que com o CPP a nossa Igreja possa ser realmente evangelizadora.

O CPP é um organismo consultivo, que sob a presidência do pároco, planeja, organiza, lidera, coordena e avalia a Pastoral Orgânica da paróquia, exprimindo a unidade e co-responsabilidade, na comunhão eclesial, de clérigos, religiosos e leigos, sob a jurisdição do primeiro (Bispo).

O CPP é o principal organismo coordenador da participação dos leigos com os clérigos e religiosos, na vida e nas atividades pastorais da Igreja local.

O CPP consiste numa instância de organização da prática pastoral, tendo como objetivo principal, ser sinal da comunhão que deve reinar entre todas as comunidades, pastorais e movimentos da Paróquia, bem como testemunhar que todos são irmãos e chamados a trabalhar juntos para o amadurecimento da vida comunitária, formando, assim, o único corpo de Cristo.

O CPP tem como objetivos promover a unidade e co-responsabilidade das forcas vivas da paróquia, examinando, planejando, avaliando, liderando, e dinamizando as atividades pastorais da paróquia e propondo prática sobre elas.

O CPP visa a ser também um elemento de integração das pastorais, associações, movimentos, respeitando a “índole própria e a autonomia de cada um deles”, sendo um sinal de consciência, de co-participação, de co-responsabilidade e de Comunhão.

Para consecução de seu objetivo, o C.P.P procurará promover e coordenar a ação pastoral e evangelizadora da comunidade paroquial, para melhor realizar a missão da Igreja.

Uma vez que o CPP é quem conduz a comunidade, decide o seu bem e junto com ela garante a execução das decisões tomadas em Assembléia Paroquial e Diocesana, deve deixar-se marcar pelo espírito de fé e por profundo amor a Jesus Cristo e à sua Igreja, sendo sinal para toda a comunidade Paroquial.

Deve ser ainda, lugar de diálogo sincero e respeitoso, atento ao bem comum, criando condições para que todos possam se expressar com liberdade, sem temor ou agressividade, sendo lugar privilegiado de diálogo entre padre, coordenadores ou representantes de comunidade, de pastorais, movimentos, e outros serviços da comunidade paroquial.

O CPP deve também, querer aprender a dialogar, a conhecer os problemas humanos e pastorais da paróquia, a refletir sobre eles à luz do Evangelho e a decidir com prudência e coragem as ações a serem incentivadas.

O CPP é composto de fiéis, em plena comunhão com a Igreja Católica, de vida cristã ativa, participantes da eucaristia, sob a autoridade do pastor, no mesmo sacerdócio e que se dispõem a expressar a sua comunhão e a sua co-responsabilidade no estudo e na busca de solução para os problemas estritamente pastorais.

Fonte: cpparoquial.blogspot.com

divisoria

COPAE

COPAE é o Conselho Paroquial para Assuntos Econômicos e administrativos.

O Conselho Paroquial para Assuntos Econômicos, denominado COPAE, é um órgão consultivo, composto por membros leigos da comunidade, que, assessorando o Pároco, pretende ser o verdadeiro elo através do qual se efetiva a co-responsabilidade, a co-participação dos fiéis cristãos na administração dos bens temporais da paróquia.

É de constituição obrigatória. Seu funcionamento e suas funções são determinados pela legislação canônica universal e, sobretudo, pelas normas ou diretrizes da Igreja Particular.

O Pároco, além do seu ministério pastoral de ensinar e santificar o povo de Deus exerce dentro do campo da administração, as funções deliberativas, responsabilidade essa que, para os casos em que julgar necessário, partilhará com o COPAE.

AO COPAE compete:

a) Com seu assessoramento nos atos de maior importância, dando o seu parecer, no que tange à situação econômica da paróquia.

b) Com seu consentimento nos atos de administração extraordinária, principalmente na aquisição e/ou alienação de bens da paróquia.

Quando convocado para função deliberativa, qualquer resolução do COPAE dependerá de votação, prevalecendo o que for aprovado pela maioria.

O COPAE tem por função assessorar Pároco na administração dos bens materiais da paróquia. Ateor do direito universal (C. 119, 127, 1.292: 4) da Igreja e salvo as que a própria legislação particular lhe concede.

É de competência exclusiva do COPAE a aprovação de todos e quaisquer promoções que venham a ser programadas na Igreja local.

O COPAE manterá organograma das atividades pastorais e administrativas, objetivando sua descentralização e dinamização.

As reuniões do COPAE são presididas pelo Pároco.

Fonte: copae.blogspot.com

divisoria

CURSILHO

O Cursilho é um movimento que teve o seu início em Mallorca, na Espanha. Clérigos e leigos se uniram para proclamar a mensagem cristã no mundo moderno de maneira corajosa, inédita, visando uma maior conscientização sobre as verdades de Deus e os problemas do mundo.

Cursilho, como a própria palavra espanhola propõe, significa “pequeno curso”, ou “curso de curta duração”, sendo um meio, um método no qual se focalizam os problemas do homem, da humanidade e se busca a verdadeira solução, cristã – JESUS CRISTO. Cursilho da Cristandade é o seu nome completo, para diferenciar de outros cursos ou seminários.

O Cursilho destina-se a homens e mulheres de caráter, para aqueles que são capazes de fazer uma opção consciente frente aos condicionamentos impostos à sociedade moderna. É para aqueles que têm a coragem de dizer sim, quando muitos ao redor dizem não. É para líderes na família, no seu ambiente de trabalho, líderes entre amigos; é para gente corajosa, para os inquietos que se angustiam com a injustiça, para aqueles que não toleram a hipocrisia, a mentira, a exploração.

Fonte: http://www.cieeb.com.br

divisoria

EAC

EAC, ou Encontro de Adolescentes com Cristo, é um serviço da Paróquia, voltado para adolescentes.

Através das mensagens e ensinamentos de Cristo, os jovens são levados a refletir sobre a responsabilidade de participar do Plano de Deus para nós: viver em um mundo de solidariedade, respeito, união, e, sobretudo, religião. Apesar de serem bombardeados diariamente com imagens e informações de uma realidade violenta, onde reina a ambição e o egoí­smo, os jovens se vêem participantes de uma comunidade que precisa do seu trabalho para mudar essa realidade.

O trabalho do EAC é organizado e coordenado pelos adolescentes e também por um grupo de casais (chamados carinhosamente de “TIOS”), tendo como Diretor Espiritual o Pároco de nossa cidade, que orientam as atividades realizadas nos encontros, nas reuniões, assim como cuidam do lado litúrgico e da meditação, baseados nos ensinamentos da Bí­blia.

Fonte: http://www.eacsamonte.com.br

divisoria

ECC

O Encontro de Casais com Cristo – ECC é um serviço da Igreja Católica, aprovado pela CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, para evangelizar a família, primeiro núcleo da inculturação e da evangelização, “Igreja Doméstica” e “santuário da vida” e para despertar os casais para as pastorais paroquiais, devidamente integrado na pastoral de conjunto da (Arqui)Diocese, constituindo-se num fortíssimo instrumento de Pastoral Familiar.

“O Encontro de Casais com Cristo não é um movimento”. Não visa prender a si os casais, nem os casais devem querer ficar presos ao ECC.

O ECC apresenta-se como um SERVIÇO DA IGREJA ÀS FAMÍLIAS DA PARÓQUIA.

O Serviço – Escola do ECC é essencialmente paroquial. Esta é sua característica fundamental. A Paróquia vai atender a seus casais dentro de sua realidade concreta e de suas possibilidades, promovendo a evangelização e o engajamento dos casais nas pastorais paroquiais. O ECC quer ser um meio, uma etapa, uma passagem, uma ponte. A meta não é o ECC. A meta é o Reino de Deus em todas as paróquias. O ECC é um serviço às famílias. É feito por casais para casais.

O ECC é ainda um serviço que procura apresentar aos casais uma visão clara e vivencial do evangelho de Jesus Cristo e da Igreja atual, por meio de seus Documentos e Encíclicas e de sua Doutrina Social.

A originalidade do ECC em relação a outros movimentos e serviços da Igreja às famílias está em que ele, sob a orientação dos Conselhos Nacional, das Regiões, Regionais e (Arqui)Diocesanos, é organizado e realizado em nível Paroquial. “Esta é a sua característica vital”. “Quem lhe retirar essa característica arranca-lhe a alma”. (Pe. Alfonso Pastore, 1983).

Fonte: http://www.saoluis.org.br

divisoria

EJC

O EJC, Encontro de Jovens com Cristo, tem como alvo principal os jovens inseridos territorialmente na paróquia, procurando despertá-los para sua verdadeira vocação de cristão.

Visa evangelizar os jovens, contribuindo para sua formação cristã, procurando encorajá-los para o engajamento comunitário e social.

Revalorizar ensinamentos adormecidos é também um dos objetivos do EJC, principalmente os valores familiares.

Criar uma consciência sobre a necessidade de preparo individual para o enfrentamento dos males modernos da juventude, como: drogas, prostituição, conflitos na convivência familiar e outros.

Visa ainda dar aos jovens de nossos dias, uma oportunidade de parar para rever seus valores e princípios face às transformações previstas para o novo milênio. Como se trata de um encontro com Cristo, os valores pessoais serão confrontados com os valores do Evangelho. O termo “Encontro” sugere também uma oportunidade do jovem reencontrar consigo mesmo, com o próximo e com Deus. O EJC é um caminho que procura construir uma consciência livre, porém madura.

Fonte: http://www.cristorede

divisoria

ENFIR

“A preparação remota é básica. Sobre ela apóiam-se as outras fases posteriores. Abrange um período bastante grande da vida do ser humano e da caminhada do cristão. Tem seu início no seio da família, desde os primeiros momentos da vida, percorre o caminho da escola, da catequese, da primeira eucaristia e crisma, dos grupos de jovens e adolescentes e o tempo do namoro”. (“Pastoral Familiar no Brasil”, CNBB)

“Via de regra, o namoro é um tempo de conhecimento mútuo de relação de um ao outro, de alegria serena e feliz de se fazer a descoberta do amor. Também deveria ser tempo de conhecimento mais profundo da pessoa que se quer amar mais, sua história, seus gostos, suas tendências, sua caminhada familiar, sua busca espiritual, seus grandes projetos, seus sucessos, seus fracassos, seus medos e temores, seus planos e sonhos, suas limitações e suas riquezas mais profundas”. (“Casados há pouco tempo”, Frei Almir Ribeiro Guimarães)

O ENFIR, Encontro de Namorados Firmes, é uma ação que se desenvolve dentro do Setor Pré-Matrimonial da Pastoral Familiar, e trata-se de uma preparação remota para o casamento e a vida familiar.

Tem como objetivo despertar os casais de namorados para viver o namoro de forma cristã, conscientizá-los das responsabilidades e finalidades do namoro, levá-los a conhecer o valor do Sacramento do Matrimônio, tendo em vista os vários problemas que afligem as famílias da Igreja e no mundo, o grande número de separações, o despreparo para o casamento, a influência negativa dos meios de comunicação na família, a inversão de valores, e muitos outros.

É dirigido, especificamente, a casais de namorados que tenham, pelo menos um ano de namoro, não se destinando a jovens e adolescentes que alternam, fácil e constantemente, os seus parceiros.

O ENFIR compreende duas partes, que compõem um mesmo processo, na seguinte conformidade:

– em primeiro lugar, o Encontro propriamente dito; e,

– em segundo lugar, o acompanhamento do Encontro, com reuniões periódicas com todos os participantes.

Fonte: http://www.irisdt.com.br

divisoria

LEGIÃO DE MARIA

Legião de Maria é, segundo o Manual Oficial da Legião de Maria, uma associação de católicos que, com a aprovação da Igreja e sob o poderoso comando de Maria Imaculada, Medianeira de todas as graças, (formosa como a Lua, brilhante como o Sol e, para Satanás e seus adeptos, terrível como um exército em ordem de batalha), se constituem em Legião para servir na guerra perpetuamente travada pela Igreja contra o mal que existe no Mundo. É uma associação que é constituída por um tripé: oração, reunião e trabalho. A reunião dos seus elementos acontece uma vez por semana e nessa mesma reunião são-lhes passadas as tarefas que devem concretizar. Nesses trabalhos os Legionários espelham-se na humildade de Nossa Senhora e levam o conforto e amor de Deus a todas as pessoas que dele precisem.

Foi fundada na Irlanda em 1921 e se espalhou pelo mundo inteiro, chegando ao Brasil em 1951. O primeiro grupo foi formado no Rio de Janeiro, na Igreja Nossa Senhora de Fátima, na Rua do Riachuelo. Está em todo o Brasil, nos mais longínquos lugares, numa expansão continuada. Há legionários que vão à Amazônia para fundar Praesidia e voltam lá para mantê-los unidos e com trabalhos corajosos.

Fonte: pt.wikipedia.org

divisoria

MAC

O MAC, Movimento de Amizade Cristã, é um movimento que reúne jovens com idades a partir de 15 anos completos até 18 anos incompletos, e que, no Brasil foi criado em março de 1983 pelo Padre Alfonso Pastore, que convocou três casais e dez jovens da comunidade e os enviou a São Paulo-SP para conhecerem a maneira como eram conduzidos os encontros de jovens. Este grupo voltou entusiasmado e logo no mês seguinte, juntamente com alguns casais e jovens da paróquia de Pompéia, realizaram o 1.° Encontro do MAC, em Vitória-ES. A partir daí os encontros foram acontecendo em períodos e intervalos diferentes, no mesmo padrão dos encontros de adolescentes, jovens e casais.

Na diocese de Patos de Minas, o MAC deveria ter sido implantado em 1986, porém, devido algumas dificuldades, sua realização só foi possível nos dias 3 e 4 de maio de 1987, onde mais uma vez foram enviados três casais e dez jovens, dessa vez a Lagoa da Prata-MG, para conhecerem o funcionamento do MAC, onde, com a colaboração de alguns casais e jovens daquela cidade, tornou-se realidade o 1.° Encontro do MAC em Patos de Minas-MG.

A especificação de idades para frequentar o MAC deu-se devido ao fato do Padre Alfonso ter percebido que nesta faixa etária os jovens estão ainda indefinidos entre ainda crianças ou quase adultos.

Como agir? O único meio é havendo uma amizade verdadeira com os pais, uma confiança franca e sem medo, onde o jovem possa se abrir e contar seus problemas, pedir conselhos, entre outros. A existência do diálogo resolve 99% dos casos e, o MAC propõe justamente um estabelecimento de um diálogo comum e amigo entre pais e filhos.

As palestras são ministradas por jovens que já viveram a experiência do MAC, e outras por casais carinhosamente chamados de tios, também por padres, seminaristas e outros que são preparados para falar aos encontristas sobre o papel de cada um na vida cristã.

Assim, os jovens crescem na fé, em Deus e na amizade. Os resultados obtidos são excelentes, proporcionando bom crescimento ainda que seus pais sejam interlocutores nos momentos de dificuldades dos jovens e da família como um todo.

O grupo do MAC é composto por um coordenador espiritual (pároco), sete casais de tios, nos quais já participaram ou participam do ECC, e sete jovens, que são distribuídos em sete funções. O grupo de sete jovens é auxiliado por outros que já tenham participado do MAC, também sendo distribuídos entre as equipes.

Em São Gotardo, nos dias 7 e 8 de outubro de 2006, a pedido dos padres Antônio Carlos e Ronaldo, seis casais e sete jovens deslocaram-se até a paróquia São Pedro de Alcântara, em Ibiá-MG, para participarem de um encontro, trazendo, mais tarde, o MAC para as paróquias São Sebastião e Nossa Senhora Aparecida, de São Gotardo. Os responsáveis pelo início desses trabalhos em São Gotardo foram os tios Marcelo (Cleide), José Humberto (Vera), José Elias (Juraci), Arlim (Elivânia), Calixto (Marilma) e Urbano (Tânia); e os jovens Aline, Ana Paula, Juninho, Larissa, Lázara, Rafaela e Tayson.

O primeiro encontro em São Gotardo ocorreu nos dias 24 e 25 de fevereiro de 2007, contando com 55 encontristas. Já foram realizados, até 2009, cinco encontros.

Fonte: Coordenação do MAC de São Gotardo

divisoria

MÃE PEREGRINA

O Movimento Mãe Peregrina é essencialmente apostólico. Fundado na Alemanha em 18 de outubro de 1914, no Bairro de Schoenstatt e no Brasil em 11 de abril de 1948. Maria é venerada com o título de Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt. As famílias recebem a Imagem Peregrina e são chamadas a transformar seus lares em um “belo lugar”, num pequeno Santuário, numa Igreja Doméstica.

O Movimento Mãe Peregrina tem por objetivo evangelizar as famílias com a Mãe Peregrina, dando testemunho de fé, pela participação na comunidade, na liturgia dominical e nas celebrações.

O que faz:

1. Visita às famílias, numa atitude de respeito, de acolhida, de escuta, ajudando-as a superar suas dificuldades.

2. Ser presença nos momentos de dor e alegria.

3. Cuidar da imagem para que seja passada pontualmente no dia certo, mantendo a corrente de oração diária.

Como é organizado:

1. Equipe Diocesana.

2. Grupos de Apóstolos Missionários nas Paróquias.

3. Famílias assistidas mensalmente.

Fonte:www.dioceseriobranco.com.br

divisoria

MINISTROS DA PALAVRA

O Ministro da Palavra tem um papel fundamental de manter o elo de ligação entre a comunidade e a liturgia. Eles animam e motivam a comunidade a celebrar num espírito de comunhão e partilha. Isto exige deles uma boa preparação. Presidir uma celebração juntamente com o Povo de Deus e oferecer um culto que manifeste a presença de Cristo, através de seu serviço ministerial e de toda a ação da comunidade que celebra, faz parte da missão dos Ministros da Palavra. Eles não são os donos da celebração e sim servidores que se colocam na posição de Cristo Servo, lembrando a liturgia do Lava-pés. Eles não são um “padre-reserva” ou coisa parecida. Possuem um ministério próprio que deve ser exercido com humildade e simplicidade, seguindo as palavras do Mestre “quem quiser me seguir tome a sua cruz e segue-me”. Eles não perseguem as glórias deste mundo ou o reconhecimento de todos, mas nas tribulações e dificuldades demonstram sua vivência evangélica profunda e, como o Cristo, amam até os que são inimigos ou adversários.

O Ministro da Palavra busca alimentar-se de sua espiritualidade baseada na Palavra de Deus e também com os sinais da sua realidade, como já afirmava Santo Agostinho, que Deus havia escrito dois livros: o livro da vida e o livro da Bíblia.

Que todos orem na intenção destes nossos irmãos que se colocam a serviço de Deus vivendo sua vocação batismal de Leigos exercendo seu Ministério na comunidade.

Fonte: http://www.cristoredentor.org.br

divisoria

MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA EUCARISTIA

Ministro da Eucaristia é aquele que serve com amor, o chamado ao ministério; não é uma distinção, nem prêmio, mas serviço. São pessoas atuantes, responsáveis e que devem dar testemunho de Jesus em suas vidas.

Os ministros da Eucaristia são escolhidos pela comunidade e aprovados pela paróquia.

O objetivo deles é ajudar ao sacerdote na distribuição da comunhão em cada celebração e ainda levar o Corpo de Cristo aos doentes, idosos e outros que por motivos justos não podem participar das celebrações na Igreja. Os ministros quando levam a eucaristia, fazem uma pequena celebração, para que o enfermo e seus familiares entendam toda a profundidade da participação na eucaristia e conheçam toda a riqueza da mensagem de Jesus através da sua palavra (Bíblia), sendo também muito rico os momentos de partilha de vida. É também um trabalho de evangelização. É gratificante ser ministro quando o serviço é feito com amor, doando assim a nossa vida para levar o alimento espiritual aos que necessitam.

Fonte: http://www.cristoredentor.org.br

divisoria

OFICINAS DE ORAÇÃO E VIDA – TOV

As oficinas são um serviço para aprender e aprofundar a arte de orar. Tal aprendizado possui caráter experimental, ou seja, como em uma oficina é orando que se aprende a orar. Tudo acontece através de complexo entrelaçamento de meditação sobre a Palavra, oração intensiva, reflexão comunitária e exercícios de silêncio, propiciando ao oficinista superar passo a passo o mundo interior de angústias e ansiedades, medos e tristezas. O resultado é a superação de complexos e traumas, controle dos nervos, estabilidade emocional e alegria e viver.

As Oficinas de Oração e Vida não deixam constituídos grupos eclesiais ou comunidades de oração. Apenas oferece um serviço. Nas últimas das 15 sessões de que é composta uma oficina, o cristão é estimulado a participar diretamente da missão sacerdotal, profética e régia de Jesus Cristo, tornando-se assim também seu apóstolo. Cada sessão, semanal, dura duas horas.

As oficinas colaboram não só com a Igreja, mas também com a pátria (sociedade), porque contribui para a unidade e fortalecimento do indivíduo e da família, constituindo-se pelas dimensões evangélica e humanitária.

O inspirador e organizador das Oficinas de Oração e Vida é Frei Ignácio Larranãga, pertencente à ordem religiosa dos capuchinhos.

Fonte: http://tovpi.sites.uol.com.br/

divisoria

PROJETO AMOR EM AÇÃO

Cantinho das gestantes – Num clima de alegria, descontração e solidariedade, um grupo de senhoras coloca o Amor em Ação todas as tardes de segunda-feira, na confecção de artesanatos e peças para o banco de enxoval.

Na foto observamos as gestantes atendidas no mês de fevereiro, recebendo o kit básico de enxovalzinho.

Na próxima edição apresentaremos o trabalho da Dra. Letícia Castro, que, num gesto de solidariedade e muito amor, assumiu a fisioterapia do projeto em 2009.

Fonte: Maria do Perpétua Socorro Dias

divisoria

RCC

Coordenação da RCC em São Gotardo (2009 a 2010): João Carlos Coelho de Oliveira (coordenador), Neir José Alves (vice-coordenador), Maria Terezinha Leopoldino Resende (primeira secretária), Ivone Marques (segunda secretária) e Celso Adriano de Camargo (tesoureiro).

A RCC, Renovação Carismática Católica, revive a experiência de Pentecostes, isto é,  renova na igreja de hoje o clima ardente das origens da experiência carismática da igreja apostólica que não era somente depositária de verdades reveladas.

O Espírito Santo suscitou a RCC na igreja para provocar e fazer acontecer uma graça profunda e forte de renovação na vida dos cristãos. Ela surgiu nos Estados Unidos através de jovens estudantes que se colocaram a disposição do Espírito Santo.

Sua missão é fazer acontecer hoje nos cristãos aquela benção transformadora que ocorreu com os apóstolos e discípulos do Senhor Jesus no dia de pentecostes (At 2, 1-13). A grande fundamentação teológica da renovação espiritual carismática está,  pois,  no mistério trinitário e  particularmente no conhecimento progressivo da pessoa do Espírito Santo e em sua ação insubstituível e ininterrupta na igreja e em cada um de nós.

A força da RCC porém está em crer no pentecostes constante que o Espírito Santo realiza na igreja, e em meio dos problemas das desilusões das conclusões e retornos de nossa época,  a igreja permanece fiel ao ministério de seu nascimento.

A RCC tem sido para a igreja nestes últimos decênios uma verdadeira benção de Deus. Sua contribuição para a espiritualidade, seja para os cristãos leigos  ou não, nos traz os testemunhos mais variados e comoventes. Redescobriu-se o sentido do louvor a importância da oração da palavra de Deus da vida dos sacramentos especialmente a eucaristia e a penitência.

A RCC vai nos mostrando cada vez com mais clareza a ação do divino Espírito Santo na igreja. Uma das grandes contribuições doutrinais e pastorais tem sido o aprofundamento na pessoa e ação deste santo espírito, alma da igreja e seu constante santificador. É ele quem a rejuvenesce com a força do evangelho, renova-a incessantemente e a conduz a uma união consumada com a esposa. Por isso que a igreja pode renovar-se constantemente, mas só sob a ação e a graça do Espírito Santo.

O mais importante é que sob a ação unitiva do divino espírito estão estreitando sua amizade com Jesus na oração e na vida e estão ansiosas por permanecer em seu amor. (Jô 15,9). Quem conhece os atos do Espírito Santo nos apóstolos e na igreja primitiva pode compreender melhor o que ele está realizando atualmente na igreja e no mundo e assim se dá conta de que estamos vivendo o novo pentecostes que o Papa João XXIII pediu.

O papel de destaque da renovação carismática na igreja é o despertar dos carismas. É através do Espírito Santo que o Cristo glorificado unifica o povo em busca de Deus,  o purifica,  o enche de vida e o conduz a verdade apesar dos pecados e das fraquezas do povo. O Espírito Santo constitui assim, os primeiros frutos (Rm 8,23) e a primeira instalação da igreja (IICor 1,22-55) neste mundo. Daí se conclui que o Espírito Santo não é concedido apenas a pastores mas a cada cristão. “Não sabeis que sois o templo de Deus e que o espírito santo habita dentro de nos?” (ICor 3,16).

O Espírito Santo se manifesta na igreja através da abundância e da riqueza de seus dons espirituais ou carismas. Certamente, no tempo de São Paulo, foram propagados na igreja carismas extraordinários e admiráveis tais como carismas de curas. Não devemos contudo pensar que os carismas do Espírito consistem, exclusivamente ou mesmo principalmente nesses fenômenos que são mais extraordinários e maravilhosos, mas o Espírito sopra onde quer e como quer dentro da igreja.

O que é grupo de oração e o seu objetivo – É uma reunião de cristãos que tem por objetivo louvar e bendizer a Deus, levando os participantes a uma experiência pessoal com o Deus vivo. A oração é o principal carisma nessas reuniões. Ela acontece de diferentes formas, tais como louvor, reconhecimento das graças recebidas por Deus, oração contemplativa, oração em línguas, petição de graças e de curas. A palavra de Deus é proclamada com o objetivo de exortar, corrigir e instruir fazendo o amor de Deus conhecido.

A música é normalmente animada e expressada através de gestos que nos levam a melhor louvar a Deus.  O objetivo do grupo de oração é levar todos os participantes a experimentar o pentecostes pessoal, a crescer e chegar a maturidade da vida cristã plena do Espírito, segundo os desejos de Jesus: “Eu vim para que as ovelhas tenham vida e a tenham em abundância (Jo 10,10)” .

Fonte: br.geocities.com

divisoria

SSVP (VICENTINOS)

A Sociedade São Vicente de Paulo (Vicentinos) é um movimento organizacional católico mundial de leigos, fundado em Paris em 1873 por Antonio Frederico Ozanam. Colocado sob o patrocínio de São Vicente de Paulo, inspira-se no pensamento e na obra deste santo, sob o influxo de Justiça e da Caridade, por aliviar os sofrimentos do próximo.

Os Vicentinos procuram, pela oração, pela meditação da Sagrada Escritura e pela fidelidade aos ensinamentos da Igreja, ser testemunhas do amor a Cristo, em sua relação com os mais desprovidos, bem como nos diversos aspectos de vida quotidiana.

O que faz – Sua ação compreende qualquer forma de ajuda, por contato pessoal, no sentido de aliviar o sofrimento e promover a dignidade e a integridade da pessoa, independente de raça, cor nacionalidade, credo político ou religioso e posição social. Faz visitas domicilares aos assistidos em: hospitais, asilos, prisões ou onde estiverem.

Como é organizadaA SSVP é organizada em Conferências, Conselhos  Particulares, Conselhos Centrais, Conselhos Metropolitanos e Obras Unidas, como: asilos, creches, hospitais.

É aberta a quem desejar viver fé, no amor e no serviço a seus irmãos.

A SSVP ajuda no sentido de aliviar o sofrimento e promover a dignidade e a integridade do homem. Não se limita a aliviar a miséria, mas também descobrir e remediar as situações que a geram. A ajuda chega a quem necessite, independentemente de raça, cor, nacionalidade, credo político ou religioso e posição social.

Os membros da SSVP, Confrades e Consócias (Vicentinos), são unidos entre si pelo espírito de pobreza e de partilha. Formam, no mundo inteiro, com aqueles a quem prestam auxílio, uma só família, buscando contato com todos os demais movimentos e organizações inspiradas em São Vicente de Paulo: é a FAMÍLIA VICENTINA. Os vicentinos procuram, pela oração, pela meditação da Sagrada Escritura e pela fidelidade aos ensinamentos da Igreja, ser testemunhas do amor a Cristo, em suas relações com os mais desprovidos, bem como, nos diversos aspectos da vida. Se caso houver interesse em participar das reuniões, você poderá freqüentar com os demais membros e visitar os assistidos da conferência ou de alguma outra forma estar ajudando a comunidade, o primeiro passo é descobrir o horário de reuniões de alguma conferência vicentina em sua comunidade, a partir daí você poderá freqüentar as reuniões, nas quais será escalado juntamente com os demais membros para visitar os assistidos da conferência, e chamado pelo próprio Cristo a colaborar para a promoção humana desses nossos irmãos carentes. Daí então descobrirá o que seduz centenas de milhares de cristãos no Brasil e no mundo que participam da Sociedade de São Vicente de Paulo.

Faça-lhes uma visita. Eles ficarão felizes em recebê-los.

“Porque tive fome e me deste de comer: tive sede e me deste de beber” Mt 25,4

Fontes: http://www.cordemaria.com.brhttp://www.dioceseriobranco.com.br

divisoria

TERÇO DOS HOMENS

Convidamos todos os homens de nossa paróquia a participarem da reza do Terço dos Homens que acontece todas as terças-feiras, às 20h00, na Igreja matriz São Sebastião.

Veja desfrutar desse momento de profunda devoção Mariana vivenciada pelos homens de nossa paróquia.

Parabéns ao nosso grupo que tem levado essa semente a muitos outros rincões de nossa diocese e até de outras dioceses.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Nuvem de etiquetas

%d bloggers like this: